ESTADOS UNIDOS

 

Expansão e êxito crescents na superpotência do século XX

 

 

OS ESTADOS UNIDOS chegaram a um apogeu político, econômico e militar que parece ter realizado em nossos dias, em sua plenitude, os desejos dos Founding Fathers em fins do século XVIII, e em condições que talvez estes mesmos não tivessem ousado esperar.

Bastam alguns dados para patenteá-lo. Seus filhos se ufanam de que os Estados Unidos são a nação mais rica e poderosa da era mais opulenta da humanidade. Cursam suas Universidades doze milhões de estudantes. Seu poderio militar protege a liberdade na Europa, Ásia, América Latina, Oceania e África. De sua pujança econômica depende a prosperidade de países como o Japão, ou de blocos supranacionais como o Mercado Comum Europeu. Sua tecnologia leva o homem até a Lua e, ao mesmo tempo, detecta e combate os mais incógnitos e perigosos vírus em laboratórios de altíssima especialização. Suas autoridades se vêem na contingência de impor severas restrições à imigração, pois do contrário para ali afluiriam milhões de pessoas das mais diferentes partes do mundo, em busca de pão e liberdade. O sucesso do País tornou universal o american way of life. Suas instituições vêm resistindo ao embate de duzentos anos dos mais turbulentos da História.

Apesar deste apogeu, delineia-se no colosso americano um mal-estar indefinido e uma perplexidade crescente. Estão longe as décadas iniciais do século XX, em que a confiança risonha no futuro de progresso não era empanada por nenhuma sombra.

Dentro de suas fronteiras, a família – fundamento de toda ordem estável e de todo progresso social – encontra-se abalada. Dos novos casamentos, por volta de 50% terminam em divórcio. Cerca de um milhão e meio de abortos são praticados legalmente cada ano, em meio ao desinteresse de largos setores da opinião pública. E nada indica que estas cifras diminuirão drasticamente; muito pelo contrário.

O uso de drogas, que habitualmente representa o estágio extremo de um longo processo de degenerescência moral de uma sociedade, tornou-se epidêmico, seja nas modalidades menos nocivas (marijuana ou cocaína), seja nas mais perigosas (LSD ou heroína). A AIDS, geralmente decorrência de desordens morais, apresenta perspectivas sombrias: o cirurgião-geral dos Estados Unidos, C. Everett Koop, declarou, em outubro de 1987, que 15 mil norte-americanos já morreram vítimas desta, e o total será doze vezes maior em 1991.

As ilusões com o progresso feneceram, em camadas de magnitude indefinida, na opinião pública.

O adelgaçamento dessas ilusões serve de caldo de cultura para outras manifestações de crise interna no País. Organizações minadas pelo pacifismo estimulam uma forte tendência desarmamentista que, se conseguir chegar a seu termo natural, causará a rendição sem luta de todo o mundo ocidental aos ditadores vermelhos. Movimentos de fundo ecologista procuram criar corrente de opinião que demolirá o poderio industrial norte-americano, fundamento da sua força militar e de suas possibilidades diplomáticas. Seitas orientais exóticas, exercícios de pseudo-mística, e toda sorte de movimentos alternativos apresentam fórmulas que trarão efeitos piores que as desordens causadas pelo desenvolvimento insensato.

Externamente, o comunismo, tendo por centro Moscou, estimula e articula jeitosamente uma aliança de forças anti-norte-americanas – governos, movimentos de opinião, interesses políticos ou econômicos – que hoje, com a glasnost e a perestroika, atingiram um auge totalmente imprevisto para a maior parte dos dirigentes políticos das eras Roosevelt e Kennedy. Sua meta continua sendo prostrar os Estados Unidos. A crise econômica, a bomba-relógio da dívida externa dos países do Terceiro Mundo, e até a dívida interna norte-americana, ameaçam a estabilidade dos interesses comerciais e diplomáticos da aliança ocidental.

Se o povo norte-americano conceber o futuro do País como o de um transatlântico super-poderoso, uma espécie de "Titanic" que não precisa se preocupar com os perigos da navegação porque as ondas da História nunca o submergirão, o agravamento das ameaças externas e o simultâneo debilitamento interno provocarão o seu naufrágio. Serão agredidos de fora e desmoronarão por dentro.

Porém, se a Nação aceitar, com ânimo forte e resoluto, a idéia de que, sobretudo na atual quadra histórica, não pode haver grandeza estável sem vigilância crescente, então terá condições para se manter, por muito mais tempo, como líder das nações livres e não baldar a esperança que nela depositam os povos subjugados pelo comunismo.

A TFP norte-americana deseja que os Estados Unidos sejam uma fortaleza. Não porém uma Fortress America, dormitando despreocupadamente na ilusão de sua inexpugnabilidade em relação aos adversários externos, e convivendo indolentemente resignada com suas debilidades internas. A ação tefepista é orientada continuamente no sentido de combater ambos os perigos.

Desde sua fundação, e mesmo antes, no fecundo período germinativo que se iniciou em 1971, tal foi sua conduta. Por isso, é muito elucidativo conhecer esses primórdios.

 

 

O primeiro núcleo do movimento que seria depois a TFP norte-americana aglutinou-se em torno de uma revista.

Dir-se-ia que se tratou de um início banal, ou, pelo menos, corrente, pois muitos movimentos se iniciam desta forma.

Na realidade, não foi assim. O órgão foi lançado por apenas três pessoas. Elas arcaram com todo o trabalho de redação e difusão, e com os gastos da publicação.

Mais. Imbuídos de um alto ideal, inspirados na obra Revolução e Contra-Revolução, do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, quiseram vir conhecer o autor no Brasil. Compreenderam que um tão nobre propósito pedia um grau incomum de dedicação, e decidiram fazer do apartamento de moradia de um deles uma espécie de sede provisória, para onde se mudaram, de suas respectivas cidades, os demais.

Não tinham experiência, não tinham financiadores, não tinham bens. O apartamento-sede, na 63rd Street, em Manhattan, era exíguo. E foi, em parte, dos parcos recursos destinados à alimentação e ao aquecimento que retiraram o quantum necessário para os primeiros números da revista. Em meio à megalópolis célebre por sua opulência, passaram por não pequenas privações materiais, mas viram realizado seu sonho de lançar, do coração da Nação-líder do Ocidente, aquilo que no primeiro número da revista chamavam sugestivamente A cruzada do século XX, reproduzindo artigo publicado no Brasil pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira.

A revista, também sugestivamente, se chamava Crusade for a Christian Civilization – Cruzada por uma Civilização Cristã.

Em 1974, com a consolidação de sua associação, constituíram a American Society for the Defense of Tradition, Family and Property.

 

 

1971

 

Começa a luta

OUTUBRO – Vem a lume o primeiro número de Crusade for a Christian Civilization. Na página editorial, a revista afirma sua resolução de lutar "contra todos os elementos e tendências que se opõem à verdadeira civilização cristã".

 

 

1972

 

Em defesa da verdadeira Hungria

JANEIRO – Circulam rumores de que o Governo dos Estados Unidos está disposto a entregar ao governo comunista húngaro a coroa de Santo Estêvão, símbolo do poder legítimo na Hungria e, como tal, objeto de um respeito reverencial por parte dos húngaros, não só em sua terra natal, mas em todos os países onde se acham refugiados. Em carta (1) ao Presidente Nixon, Crusade faz notar os inconvenientes de tal ato.

(1) Datada de 27-1-72.

 

Apelo ao heroísmo

ABRIL – Crusade publica o manifesto Um apelo ao heroísmo, no qual, após minuciosa análise da crise do mundo atual, e dos Estados Unidos em particular, faz uma conclamação em favor da defesa dos princípios e dos valores cristãos.

 

JULHO – Crusade consagra um número especial à transcrição integral do estudo de Plinio Corrêa de Oliveira, A liberdade da Igreja no Estado comunista (ver Livros publicados por várias TFPs 2).

 

 

1973

 

Cardeal Mindszenty

SETEMBRO – Portando estandartes rubros com o leão dourado, uma representação de Crusade recebe no aeroporto de Nova York o Cardeal Mindszenty, herói da resistência anticomunista húngara.

 

OUTUBRO – Por iniciativa de Crusade, sai a primeira edição em língua inglesa do livro Revolução e Contra-Revolução, de Plinio Corrêa de Oliveira, com prefácio do conhecido escritor John Steinbacher. A edição é lançada pela editora Educator Publications, da Califórnia (ver Livros publicados por várias TFPs 1).

 

 

1974

 

Fundação

JANEIRO – Funda-se em Nova York a American Society for the Defense of Tradition, Family and Property, tendo sua sede em New Rochelle, naquele Estado, e sendo legalmente reconhecida em 1975.

 

Por primeira vez, no Capitólio

JANEIRO – Os estandartes rubro-dourados da TFP flameiam na Praça do Capitólio (*), em Washington: a Sociedade participa de uma manifestação de grande porte contra o aborto, promovida por diversas organizações. Aborto, um pecado que brada aos céus e clama a Deus por vingança, é o slogan proclamado pelos cooperadores da TFP durante o percurso. Na ocasião, as entidades organizadoras entregam aos congressistas norte-americanos uma petição com 3.610.000 assinaturas reclamando a revogação da lei que autoriza a matança dos inocentes. Um número especial de Crusade dedicado ao tema é largamente difundido durante a manifestação. São distribuídos também 7 mil exemplares de um folheto editado pela TFP sobre a matéria. Desde então participa ela – sempre com grande notoriedade – dessas manifestações nacionais contra o aborto (o Pro Life rally), realizadas anualmente na Capital Federal.

(*) Sede do Congresso norte-americano.

 

Em janeiro de 1975 a entidade distribui 7 mil exemplares de um folheto intitulado TFP extra, especialmente preparado para o evento.

Em 1980, divulga 10 mil exemplares de um manifesto intitulado Apelo para uma ascensão rumo à honra.

Em 1983, a entidade ostenta três grandes faixas, indagando ao Episcopado norte-americano por que razão se tem externado tanto receio em relação à possibilidade de uma hecatombe nuclear, ao mesmo tempo que se mantém silêncio a respeito da hecatombe representada pela matança dos inocentes por meio do aborto.

Em 1984, a TFP distribui declaração na qual verbera a inação dos antiabortistas brandos – aqueles que não querem atuar energicamente contra esse crime abominável. A entidade participa também das manifestações antiabortistas em Los Angeles, São Francisco e Denver.

Em tais atos a Sociedade sempre ostentou cartazes gigantescos, com pensamentos antiabortistas. Eis alguns exemplos:

Aborto, Vietnã, Cambodge, Irã! Estados Unidos, o que aconteceu com tua honra?

O sangue de Abel clamou a Deus por vingança. As crianças inocentes clamam a Deus perguntando: o que fizemos para sermos assassinadas por nossas mães?

Um menino no ventre de sua mãe tem o direito à vida, recebido diretamente de Deus, e não dos pais ou de qualquer sociedade ou autoridade humana. Estas palavras de Pio XII nos iluminam, apóiam e nos dão coragem.

 

Boletim Informativo

MARÇO – A TFP inicia a publicação do boletim informativo To see, to judge, in order to act. Distribuído a seus amigos e simpatizantes, ele contém notícias sobre as diversas TFPs e comentários de atualidade.

 

Paradoxo diante da História

MAIO – Crusade publica o estudo O mistério dos Estados Unidos, talvez o maior mistério da História, no qual mostra como o comunismo só pode sobreviver e expandir-se graças à maciça ajuda em créditos, tecnologia e cereais a ele oferecida pelo Ocidente, em nome da détente. Depois de 60 anos de fanática propaganda doutrinária, o comunismo fracassou como ideologia e como modelo econômico, revelando-se incapaz de atrair as classes operárias e de convencer os povos que dominou pela força. Somente a ajuda ocidental o salva do colapso completo. Enquanto isto, os Estados Unidos se foram debilitando política e militarmente, ao passo que a Rússia emprega todos os recursos que a ajuda ocidental lhe dispensa de aplicar na produção de bens de consumo em benefício de sua própria população, para armar-se até os dentes. Talvez seja este um dos maiores paradoxos da História de todos os tempos, que os historiadores do futuro não saberão explicar.

 

Dois pesos e duas medidas

JUNHO – Alegando violações dos direitos humanos no Brasil e no Chile, o órgão executivo da Conferência Episcopal dos Estados Unidos – a United States Catholic Conference, USCC – havia proposto o estabelecimento de um boicote econômico contra esses países. Paradoxalmente, dois anos antes o mesmo órgão havia solicitado ao Governo a suspensão do bloqueio econômico contra Cuba. À vista de tais atitudes flagrantemente contraditórias, a TFP dirige uma mensagem ao Episcopado norte-americano (2), na qual pergunta por que usa assim de dois pesos e duas medidas: suspicácia inquisitorial e feroz para com os governos anticomunistas, e otimismo, confiança e vistas gordas para com as tiranias comunistas?.

(2) Cfr. "To see... to judge... in order to act", junho de 1974.

 

A Comissão Justiça e Paz, órgão executivo da USCC, envia carta à TFP negando que os Bispos tivessem alguma vez pedido o fim do bloqueio a Cuba. Esta responde (3) que, de acordo com a revista "Informations Catholiques Internationales" (4), a Conferência de Bispos dos Estados Unidos publicara um documento pedindo que fosse levantado tal bloqueio.

(3) Ibid., março de 1975.

(4) Cfr. "Informations Catholiques Internacionales", Paris, 15-7-72.

 

A Cruz e os estandartes

AGOSTO – Um grupo de sócios e cooperadores da TFP, conduzindo uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, faz uma peregrinação até a Ilha de São Clemente – lugar histórico onde foi celebrada a primeira Missa em território norte-americano. Junto à imensa Cruz comemorativa do evento, são levantados pela primeira vez naquele local seus estandartes rubros, significando o firme propósito da Sociedade de revigorar as sãs tradições da grande nação do Norte.

 

Crusade, OEA e Cuba

SETEMBRO – Crusade, publicada até então em forma de tablóide, aparece agora como revista ilustrada, de acordo com os melhores padrões técnicos do gênero. O primeiro número desta nova fase é dedicado ao drama de Cuba, opondo-se à readmissão da outrora "Pérola das Antilhas" no seio da OEA. Uma delegação de sócios e cooperadores da Sociedade, ostentando suas capas vermelhas, dirige-se ao edifício do Congresso e ali faz a entrega de um exemplar da revista aos parlamentares conservadores presentes. A moção pró-castrista acabou sendo derrotada na reunião da OEA em Quito, no mês de novembro.

 

SETEMBRO – A TFP norte-americana se associa à Declaração de Resistência das diversas TFPs à Ostpolitik vaticana (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 4).

 

Mil dias de Allende

NOVEMBRO – Crusade publica em edição especial a reportagem Após os mil dias de Allende, o povo dá seu testemunho, impressionante relatório sobre o fracasso da experiência do "socialismo em liberdade" no Chile.

 

 

1975

 

ABRIL – A TFP norte-americana exprime seu luto pela queda do Vietnã e do Cambodge (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 7).

 

No Camp Pendleton

MAIO – A TFP visita pela primeira vez o centro de refugiados vietnamitas em Camp Pendleton (Califórnia), a fim de dar ânimo e coragem a essas pobres vítimas do comunismo. Objetos de piedade, como rosários, medalhas e livros são distribuídos, sendo aceitos com enorme interesse por parte dos vietnamitas. Seminários sobre temas anticomunistas foram realizados, acompanhados de audiovisuais. As visitas depois se repetem várias vezes.

 

Diálogo e Indochina

JULHO – Crusade publica o estudo Indo-Chine, the détente, Helsinki, and the future of the United States (preparado e divulgado pela TFP chilena). O estudo denuncia a mentalidade dialogante que tomou conta de inúmeras pessoas do Ocidente, e que  foi responsável pela ignominiosa derrota sofrida ante o comunismo na Indochina.

 

As aparições de Fátima

SETEMBRO – Crusade publica Simples relato do que aconteceu em Fátima quando Nossa Senhora apareceu, estudo histórico de A. A. Borelli Machado sobre as aparições e a mensagem de Nossa Senhora em Fátima, publicado anteriormente pela TFP brasileira.

 

NOVEMBRO – Crusade reproduz estudo analisando a atuação do IDO-C e dos "grupos proféticos", na Igreja Católica (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 2).

 

 

1976

 

"Cursilhos"

ABRIL – A editora Lumen Mariae publica em inglês a Carta Pastoral sobre Cursilhos de Cristandade, de autoria de D. Antonio de Castro Mayer, Bispo de Campos (Brasil). Esta editora, fundada por inspiração da TFP norte-americana, fez o lançamento desta obra – seu primeiro livro – em uma recepção no Liederkranz Club, em Manhattan.

 

O Estado, "sócio" da família

MAIO – A TFP dirige uma carta aberta ao Congresso norte-americano, na qual denuncia o Child and Family Services Act, mostrando que o Projeto apresentado pelos Senadores Walter F. Mondale e John Brademas estabelecia o ensino laico nas escolas, proibia o ensino religioso, restringia os direitos da família e ampliava indevidamente os poderes do Estado, transformando-o numa espécie de sócio da família na educação dos filhos. De fato, o Estado seria desde logo o sócio dominante nesse relacionamento desigual, acelerando o advento do dia em que assumiria o controle completo da criança. O fundamento filosófico do Projeto era, pois, profundamente coletivista.

No dia 31 de maio, os sócios e cooperadores da TFP se dirigem com seus característicos símbolos a Washington, onde realizam uma passeata em torno do Capitólio, protestando contra o Projeto. Com este ato, dá-se oficialmente início à campanha, que prosseguiria nas vias públicas de Nova York, onde milhares de volantes com o documento são distribuídos aos transeuntes. Ao mesmo tempo, 6 mil exemplares são enviados por mala-direta a pessoas de orientação conservadora. Em outubro o projeto de lei foi retirado do Congresso (5).

(5) O documento da TFP foi recomendado ao público católico na coluna da Irmã Rose Marie Larkin, O.S.B., na importante revista católica "The Wanderer".

 

Bispos de Minnesota

JUNHO – A TFP dirige carta aberta aos Bispos de Minnesota, protestando pelo endosso que deram ao Projeto de Lei Mondale-Brademas. A carta mostra como é ilógico que Bispos católicos apóiem uma medida tão contrária ao direito natural e que, ademais, proíbe o ensino da Religião Católica. Pede ainda aos srs. Bispos que reestudem sua posição e denunciem o Projeto.

 

JULHO – Crusade publica novamente o estudo de Plinio Corrêa de Oliveira sobre A liberdade da Igreja no Estado comunista, desta vez com abundante ilustração fotográfica e novo título: A Igreja e o Estado comunista: a coexistência impossível. "Caravanas" da TFP divulgam a matéria por todo o território nacional (ver Livros publicados por várias TFPs 2).

 

Peregrinando

OUTUBRO – Sócios e cooperadores da TFP fazem uma peregrinação ao Santuário católico de Auriesville, no Estado de Nova York, onde foram martirizados os três primeiros mártires em território norte-americano elevados aos altares. A intenção da peregrinação era pedir a derrota da Revolução nos Estados Unidos e no mundo inteiro.

 

TFP celebra Missa em Kansas City

NOVEMBRO – A TFP faz celebrar, em Kansas City, Missa pelas vítimas do comunismo através do mundo, com grande comparecimento popular e a presença de representantes de 14 nações cativas. Após o ato cooperadores e supporters da TFP fizeram campanha pelas ruas da cidade, contra a política de détente em relação ao comunismo.

Em 1977, também por iniciativa da TFP, o Santo Sacrifício foi novamente celebrado em Kansas City, na mesma intenção e com a mesma afluência popular.

 

DEZEMBRO – Sob os auspícios da TFP norte-americana, que se incumbe também de sua difusão, é editado em inglês A Igreja do silêncio no Chile, publicado pela TFP andina (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 8).

 

 

1977

 

Tragédia na Ucrânia

JANEIRO – Crusade dedica número especial ao artigo Gold, mourning, and bloodUkraine: a tragedy without frontiers (6), no qual descreve a trágica dimensão do abandono em que se encontram os católicos ucranianos martirizados pela opressão comunista russa. O artigo mostra como aquela situação é agravada em conseqüência da política de distensão do Vaticano com os governos comunistas. O Cardeal Slipyi, Arcebispo Maior de Lvov dos ucranianos, elogia a iniciativa de Crusade, augurando-lhe os melhores frutos. Para a difusão desse número da revista, sócios e cooperadores da entidade fazem campanhas públicas em frente de 28 igrejas católicas ucranianas em Nova York, Nova Jersey, Connecticut, Pensilvania, Illinois, Ohio, Kansas, Missouri, Michigan e Califórnia. Campanha similar é feita também no Canadá (Montreal e Toronto), pelos Young Canadians for a Christian Civilization. Ao mesmo tempo, sócios e cooperadores da TFP norte-americana obtêm adesões para uma Reverent petition to Paul VI about the outrageous situation of the persecuted Ukranian Catholic Church (7). Entre os signatários do documento estão Mons. Maxim Hermaniuk, Arcebispo Metropolitano de Winnipeg (Canadá); Mons. Platon Kornyljak, Exarca Apostólico para os ucranianos católicos da Alemanha; o Príncipe Alexis Dolgoruky, da Ucrânia.

(6) Ouro, luto e sangue – Ucrânia, uma tragédia sem fronteiras.

(7) Reverente petição a Paulo VI sobre a ultrajante situação da perseguida Igreja Católica da Ucrânia.

 

A primeira edição da revista esgota-se em uma semana, sendo providenciada imediatamente uma segunda tiragem. Ambas obtêm excelente acolhida, sobretudo entre os católicos ucranianos. A campanha tem repercussão tanto nacional como internacional, recebendo comentários favoráveis no "Vistiz Rymn" (um serviço de imprensa ucraniano em Roma), e em jornais da Alemanha, do Canadá e da Dinamarca (8).

(8) Cfr. "America", Philadelfia, fevereiro 77; "Hungarian News", 27-3-77; "Maechter und Anzeiger", 15-4-77; "Our Goal", Toronto, 16-4-77; "Saxon News Volkblatt", 18-4-77; "The Free Word" ("Vilne Slovo"), Toronto, 23 e 30-4-77; "Schlach Peremshy Ukrainische Wochenschrift", 22-5-77; "Kanadsky Slovak", Toronto, 28-5-77; "Toronto Sun", 30-5-77; "Student Wurzburg Germany", maio/junho 77; "The Remnant", St. Paul of Minnesota, 16-6-77; "The Patriarchate", julho 77; "The Calgary Herald", 20-8-77; "Western Catholic Reporter Week", 22-8-77; "Winnipeg Free Press", 30-8-77; "Narodna Volya", 22-9-77; "The Church's Herald", Chicago, 27-9-77; "Kronika", 1977; "Nosha Meta", Toronto, "Danizdat", Copenhagen; "Ukranian Weekly"; "Magyar Ujsag", Cleveland (Ohio).

 

MARÇO – A TFP publica e distribui no Congresso norte-americano, em Washington, o estudo Carter's democratic utopism favors communist expansion (ver TFPs: ação conjuntas em âmbito internacional 9).

 

JULHO – A TFP telegrafa ao Núncio Apostólico em Washington, expressando perplexidade face ao discurso de Paulo VI por ocasião da entrega de credenciais do novo embaixador brasileiro junto à Santa Sé (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 9).

 

SETEMBRO – Telegrama ao Presidente Carter em defesa dos direitos humanos dos que fogem do Vietnã em precárias embarcações (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 9).

 

Protesto pela entrega de relíquia aos comunistas

NOVEMBRO – Em telegrama ao Presidente Carter, a TFP manifesta seu profundo desacordo pela decisão da Casa Branca de entregar ao governo comunista da Hungria a Coroa de Santo Estêvão.

 No dia 29, uma delegação da entidade participa da manifestação organizada pelos húngaros refugiados nos Estados Unidos, em defesa dessa Coroa. Cantando hinos católicos e patrióticos, dois mil manifestantes desfilam da Casa Branca ao Capitólio, em cujas escadas são pronunciados vários discursos. No dia 6 de janeiro de 1978, o Secretário de Estado Cyrus Vance concretiza a decisão do Presidente Carter, em cerimônia realizada no Parlamento magiar, sem afluência popular e em presença de algumas poucas autoridades comunistas e norte-americanas. O Cardeal Lekai, sucessor do Cardeal Mindszenty, também está presente, significando com isto que nada tem a objetar à entrega dessa relíquia da Cristandade às mãos dos comunistas.

 

Defesa do Canal

OUTUBRO – "Crusade" reproduz artigo de Plinio Corrêa de Oliveira referente ao tratado firmado pelos Estados Unidos e pelo Panamá, de acordo com o qual este último País adquirirá plena soberania sobre o estratégico canal dentro de vinte anos. O catedrático brasileiro mostra que  Cuba será a verdadeira beneficiária do tratado.

O artigo é distribuído no Campus da Universidade de Michigan e provoca saudável polêmica entre os alunos.

 

Reforma Agrária na Costa Oeste

DEZEMBRO – A TFP publica um tablóide especial com o manifesto Socialist agrarian plunder in the irrigated lands (Espoliação Agrária socialista nas terras irrigadas), no qual analisa o projeto de distribuição de terras no Oeste, proposto pelo Departamento do Interior. Em sólido estudo que é enviado a esse Departamento e circula profusamente nos meios agrícolas da Califórnia, a Sociedade analisa o projeto, apontando seu caráter de reforma socialista e confiscatória. O documento é enviado também a governadores, senadores e deputados. Os sócios e cooperadores da TFP, em campanha que dura mais de um ano, visitam cerca de 2 mil agricultores, com a finalidade de divulgar o estudo, encontrando muito boa receptividade. Uma resolução do Senado, de 15 de setembro de 1979, anula a aplicação daquele projeto.

 

 

1978

 

Aborto mais blasfêmia

MAIO – A organização pró-aborto Planned Parenthood Federation of America publicou um folheto intitulado Abortion Eve, que trazia numa de suas capas um desenho blasfemo contra a Imaculada Conceição de Maria Santíssima. No dia 13, a TFP promove uma manifestação na 7ª Avenida, em Nova York, diante da sede da referida organização. No dia anterior, um convite para a manifestação ocupou meia página do "Daily News", o jornal então mais vendido dos EUA (9).

(9) Cfr. "New York Daily News" (1,6 milhão de exemplares), 12-5-78.

 

A multidão enche a rua e brada os slogans da TFP. "O aborto é um crime"; "As blasfêmias contra a Mãe de Deus clamam por reparação"; "O movimento abortista causou o maior massacre de inocentes da História". Grandes grupos de católicos, muitos deles ativos nos movimentos antiaborto dos EUA, chegam de três Estados vizinhos, e alguns de lugares distantes como Mississipi e Ohio, para expressar seu protesto contra a blasfêmia e desagravar a Mãe de Deus. Colocam-se incontáveis flores aos pés de uma imagem de Nossa Senhora de Fátima que preside o ato, rodeada pelos sócios e cooperadores da TFP, com seus estandartes auri-rubros.

Os momentos culminantes do acontecimento são a recitação de um Rosário público e os discursos de representantes de diversas organizações. Durante a manifestação, membros da Planned Parenthood distribuem volante que diz: "Oferecemos nossas ilimitadas desculpas e afirmamos nosso público repúdio pelo desenho e as filosofias subjacentes a ele". Fica claro para todos que a atitude tomada pela TFP alcançara o seu objetivo.

Uma nota do serviço de imprensa da entidade, relatando os fatos, é oferecida em Washington aos congressistas conservadores, e reproduzida por muitos órgãos de imprensa (10).

(10) "New York Daily News", 14-5-78; "Diario de las Américas", Miami, 20-5-78; "The Wanderer", St. Paul of Minnesota, 25-5-78; "The National Educator", julho/78; etc.

 

Relações pré-matrimoniais

MAIO – A TFP envia telegrama ao Presidente Carter e ao Committee of Human Resources of the U.S. Senate, protestando enfaticamente contra o Adolescent Health, Services and Pregnancy Prevention and Care Act, apresentado no Senado. Essa medida, se aprovada, favoreceria a imoralidade, incentivando as relações pré-matrimoniais: isso, por sua vez, conduziria à dissolução da família, meta tão desejada pelo comunismo.

 

Exibição ofensiva

JUNHO – Uma delegação de cinco cooperadores da TFP entrega carta ao diretor do Bronx Museum of Arts, protestando pela exibição de quadros e montagens blasfemos e escandalosos.

 

Quando começa o Conclave

AGOSTO – Por ocasião do Conclave que deveria eleger o sucessor de Paulo VI, a TFP realiza uma vigília de orações públicas, diante da Catedral de São Patrício, em Nova York, pedindo que o novo Papa seja favorecido pela Providência com a Fortaleza de um São Gregório VII, ou de um São Pio X. Precede o ato um desfile dos sócios e cooperadores da Sociedade que, portando estandartes e grandes faixas, percorrem o longo trajeto da 5ª Avenida que vai desde a Igreja de São Pedro, a primeira igreja católica de Nova York, até a Catedral de São Patrício. Um imenso estandarte com a Imagem de Nossa Senhora de Fátima lidera a passeata (a respeito do Conclave, ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 10).

 

Formosa

DEZEMBRO – Em telegrama ao Presidente Carter, a TFP manifesta sua "inconformidade e veemente protesto" pela ruptura de relações diplomáticas com Formosa. Ao mesmo tempo, envia mensagem ao Presidente da República da China Livre, expressando sua indignação pela chocante decisão.

 

 

1979

 

China Livre

JANEIRO – A TFP, portando seus símbolos, participa de manifestação de protesto contra o reconhecimento da China comunista, por parte do Governo Carter, em detrimento da China Livre. O desfile percorre as ruas do Bairro Chinês, de Nova York, e reúne cerca de 15 mil participantes.

 

News and Views

JANEIRO – A TFP dá início à publicação de um boletim mensal, Crusade News and Views, com o intuito de estabelecer comunicação mais ágil e freqüente com seus amigos e colaboradores.

 

Deng nos Estados Unidos

JANEIRO – Delegação da TFP participa de manifestação pública em Washington, contra a visita aos Estados Unidos do vice-primeiro-ministro Deng, da China comunista.

 

Vítimas do comunismo

FEVERERIO – A TFP colabora com uma coleta de donativos realizada em Rochester (N.Y.) em benefício dos refugiados vietnamitas acolhidos pelos Estados Unidos em seu território. Para tanto, a entidade faz um audiovisual sobre o Vietnã, dando assim sua contribuição para o sucesso da iniciativa.

 

Macarthismo de esquerda

ABRIL – A TFP supera vitoriosamente uma campanha publicitária esquerdista desencadeada contra a Sociedade. Macarthysm from the left (Macarthismo de esquerda), foi como um advogado qualificou tal campanha de difamação (11), que se iniciara em novembro de 1979. A referida campanha terminou quando as Cortes de um dos condados de Nova York emitiram seu pronunciamento.

(11) Fizeram eco aos acontecimentos os seguintes jornais: "Patent Trader", Mount Kisco, 2-11-78, 6-12-78, 7-12-78; "The New York Times", 11-12-78; "Patent Trader", Mount Kisco, 27-2-79; "The Reporter Dispatch", Westchester, 27-2-79; "The New York Times", 4-3-79; "The Reporter Dispatch", 10-3-79, 12-3-79, 13-3-79, 14-3-79; "Patent Trader", 27-3-79 (defesa da Foundation for a Christian Civilization), "The New York Times", 3-5-79 e 6-5-79, "The Reporter Dispatch", 28-11-79; "Patent Trader", 29-11-79; "The Reporter Dispatch", 2-12-79, 3-12-79; "Patent Trader", 10-12-80; "The Reporter Dispatch", 6-11-81.

 

Boletim quinzenal

JUNHO – Devido à boa acolhida dispensada a Crusade News and Views, a TFP resolve transformá-lo em quinzenário, com outro nome: TFP Newsletter.

 

Passeata

JULHO – Uma numerosa delegação da TFP norte-americana participa da grande passeata das Nações Cativas, que teve lugar na 5ª Avenida, em Nova York.

 

"Open house"

AGOSTO – Em um "open-house" patrocinado por entidade amiga, a TFP, pela vitória conseguida contra seus detratores (vide supra), teve a oportunidade de receber as congratulações dos 300 convidados que ali compareceram. O acontecimento teve lugar em propriedade do Condado de Westchester, que desde então passa a ser uma das principais bases de ação da Sociedade, no Estado de Nova York. Diversas autoridades, entre as quais o deputado Robert Dornan e o coronel da reserva Raymond Sleeper, da Força Aérea, fazem uso da palavra.

 

SETEMBRO – Um grupo de refugiados vietnamitas que edita a revista católica Duyen Ngheo, na Califórnia, publica o livro Acordo com o regime comunista. Para a Igreja: esperança ou autodemolição?, de Plinio Corrêa de Oliveira, em língua vietnamita (ver Livros publicados por várias TFPs 2).

 

NOVEMBRO – Durante a visita de João Paulo II aos Estados Unidos, a TFP realiza nas ruas de Manhattan campanha de divulgação do livro Acordo com o regime comunista. Para a Igreja: esperança ou autodemolição?, com edições em inglês, polonês e vietnamita (ver Livros publicados por várias TFPs 2).

 

 

1980

 

ABRIL/MAIO – Telex a Carter a propósito da invasão da Embaixada do Peru por 10 mil cubanos. Campanha na Flórida. Telex a S.S. João Paulo II sobre o mesmo tema (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 9).

 

MAIO – Publicação e lançamento da segunda edição norte-americana de Revolução e Contra-Revolução, de Plinio Corrêa de Oliveira, ampliada com uma terceira parte e prólogo especial do autor, que é representado no ato pelo sr. Pedro Paulo de Figueiredo. Este lê discurso preparado por Plinio Corrêa de Oliveira para a ocasião (ver Livros publicados por várias TFPs 1).

 

34 Nações

JULHO – No dia 13 a TFP participa do desfile realizado em Nova York por ocasião da 22ª semana das Nações Cativas, que reúne representantes de 34 nações subjugadas pelo comunismo. O desfile pelas ruas centrais de Manhattan durou 40 minutos. A delegação mais numerosa é a da TFP. Seus sócios e cooperadores portam capas e estandartes, um dos quais com os dizeres Tradição, Família e Propriedade escritos em polonês. No término do desfile, há uma concentração em que discursa, pela entidade, seu presidente.

 

Intensa atuação

AGOSTO/SETEMBRO – Sócios e cooperadores da TFP formam duas "caravanas", que percorrem o Sul, o Meio-Oeste e a costa do Pacífico. Na Southwestern University School of Law, de Los Angeles, a TFP apresenta o audiovisual Vietnã, vítima da détente.

No mesmo período, sócios e cooperadores da TFP participam de dois congressos: o Family Forum, em Washington, e o Forum do "The Wanderer", em São Paulo de Minnesota.

 

Nas Universidades

AGOSTO e SETEMBRO – Jovens da TFP visitam as Universidades de Yale, Columbia e Fordham e as Faculdades de Southern Connecticut State e Westchester Community, distribuindo o manifesto Indifference is plunging us into chaos (A indiferença nos está levando ao caos). A presença da TFP provoca grande agitação por parte de alguns estudantes esquerdistas das Universidades de Yale e Columbia. Apesar da jactância com que se proclamavam paladinos dos princípios democráticos, tentam eles impedir a propaganda ordeira e pacífica da Sociedade. Isto não foi obstáculo a que o manifesto tefepista despertasse grande interesse em amplos setores dessas e de outras instituições do ensino superior visitadas.

 

Tribalismo

OUTUBRO – Crusade consagra um número especial ao estudo do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira Tribalismo indígena, ideal comuno-missionário para o Brasil no século XXI.

 

 

1981

 

Epopéia

JANEIRO – A TFP norte-americana publica a tradução em inglês do livro Meio século de epopéia anticomunista, de sua coirmã brasileira, o qual é divulgado nos meios conservadores e entre estudiosos dos assuntos latino-americanos.

 

"Bureau"-TFP

MARÇO – Em Arlington, Virginia, a dez minutos do Capitólio, é fundado o Bureau-TFP, com a finalidade de estabelecer contatos com organizações e personalidades cujo ideário se aproxime do das TFPs. Pouco tempo depois a TFP norte-americana inicia a publicação do Washington Mailing, para tornar mais conhecida nos EUA a realidade da América Latina.

 

Assistente especial de Reagan visita a sede da TFP

OUTUBRO – O sr. Morton Blackwell, assistente especial da Casa Branca para relações públicas, visita a sede social da TFP, onde discorre sobre as perspectivas do movimento conservador nos Estados Unidos.

 

DEZEMBRO – Publicação, em quatro grandes jornais norte-americanos ("New York Times", "Washington Post", "Dallas Morning News" e "Los Angeles Times") da Mensagem das 13 TFPs sobre o socialismo autogestionário francês (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 12).

 

 

1982

 

Lembrando o Afeganistão

MARÇO – Tendo o Presidente Reagan declarado o dia 21 como Dia Internacional do Afeganistão, a TFP norte-americana esteve, nessa data, nas principais ruas de Washington, distribuindo 45 mil volantes convidando o público a recordar aquela nação e a participar da concentração de protesto pela invasão daquele País pela Rússia soviética. A concentração se realiza no Teatro Silvan, junto ao monumento de Washington.

 

Comissão de Estudos

MAIO – Constitui-se uma Comissão de Estudos sob a orientação do sr. John Tatton (*), sobre temas que influenciaram e influenciam a formação da mentalidade norte-americana. Tais estudos – que já abarcam cerca de 150 temas – têm saliente papel na vida da TFP. Destacam-se, entre outros, os sobre O cowboy americano e sua profunda influência na psicologia nacional, e Em busca da excelência, assuntos dos mais atuais no País, e que despertam amplo interesse também fora das fronteiras norte-americanas.

(*) O Sr. John Tatton e senhora, e Da. Virginia Tatton, mãe dele, se incluem, juntamente com seu primo Daniel H. Braman e senhora, e a mãe deste, Da. Mary O'Connor Braman, entre os melhores amigos da TFP norte-americana. Quase desde a fundação desta, têm sido eles um constante e valioso apoio, do ponto de vista moral e cultural como também do material. Ambas as famílias são das mais representativas e tradicionais do Texas.

 

Que é a TFP? Como atua?

JULHO – Edição especial do Newsletter: As 13 TFPs em revista. Que é a TFP? Como ela atua?

 

Em defesa da família

JULHO – O Forum da Família reúne em Washington 500 participantes, para discutir o futuro do Movimento Pró-família. Dentre eles se destacam setenta especialistas, economistas, líderes religiosos e políticos da "Nova Direita" norte-americana. O sr. John Spann, presidente da TFP norte-americana, discursa sobre o tema A Família: situação atual na Europa e na América Latina.

 

A pujança da TFP norte-americana se exprime em prestigiosos congressos

AGOSTO – O I Encontro para amigos e simpatizantes da TFP realiza-se em Nova York, com a participação de 250 pessoas provenientes dos Estados Unidos e Canadá. A programação tem como temas centrais o livro Revolução e Contra-Revolução e a Mensagem das TFPs sobre o socialismo autogestionário francês, ambos de autoria de Plinio Corrêa de Oliveira. É venerada durante o Encontro a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que verteu lágrimas em Nova Orleans (EUA).

A partir deste marco inicial, a TFP norte-americana não cessa de realizar importantes congressos. Os de âmbito nacional, realizados em Nova York, são os seguintes:

– O II Encontro, em maio de 1983, com 350 participantes dos EUA, Canadá, Irlanda e Austrália.

– O III Encontro, em novembro de 1984, com 400 participantes dos Estados Unidos, Canadá e Europa. O célebre teólogo espanhol Pe. Victorino Rodríguez, O.P., discorre sobre a Teologia da Libertação. Também estão presentes o sr. Robert Reilly, assistente especial do presidente Reagan, e o sr. Earl Appleby, assistente do Senador Jesse Helms.

– O IV Encontro, em outubro de 1985, congrega 450 pessoas de 26 Estados norte-americanos, Canadá, África do Sul, França, Bélgica, Irlanda, Espanha e Brasil. O Pe. Victorino Rodríguez, O. P., discorre sobre o que é a verdadeira libertação. O ponto mais alto e brilhante do evento é a entronização na Sede da Imagem de Nossa Senhora da Esperança Macarena, réplica da que se venera em Sevilha.

Há, além disso, vários congressos regionais: em São Francisco (agosto de 1983); os congressos de um dia em Phoenix, no Arizona, e São Diego, São Francisco, Sacramento, Riddang, Santa Bárbara, Los Angeles e Bakersfield, na Califórnia (todos em agosto de 1984); no Kentucky (abril de 1985), em Bakersfield e Los Angeles, na Califórnia (ambos em setembro de 1985); em Denver (novembro de 1985); em Los Angeles (março de 1986); em São Francisco (junho de 1986), Los Angeles (agosto de 1986), São Francisco (dezembro de 1986), em St. Louis, no Missouri (outubro de 1986) e em Denver, no Colorado (novembro de 1986). Estes três últimos contaram com a presença da imagem de Nossa Senhora da Esperança Macarena, trasladada de Nova York para os eventos.

Cumpre mencionar, outrossim, a brilhante participação da TFP norte-americana nos Congressos da TFP brasileira, realizados em São Paulo, sempre com numerosa representação.

 

NOVEMBRO – Como desdobramento do lance da Mensagem sobre o socialismo autogestionário de Mitterrand, a TFP norte-americana dá início à publicação de um "Boletim das 13 TFPs" – mais tarde 15 – em seis idiomas, divulgado em 25 países (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 12).

 

Tudo sobre a TFP

NOVEMBRO – Edição especial do Newsletter contendo entrevista com o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira: Tudo sobre as TFPs, seus símbolos, ação e objetivos.

 

 

1983

 

Ofensiva pacifista

MARÇO – 1500 pessoas se reúnem em Washington para protestar contra projetos que redundariam no desarmamento como que unilateral dos Estados Unidos em relação ao bloco comunista. A TFP apóia a manifestação, marcando sua presença com enormes cartazes.

 

Dia Internacional

MARÇO – Uma vez mais, no dia 21, grande contingente da TFP norte-americana participa do protesto contra a Rússia soviética, pelas violações do direito internacional ao invadir o Afeganistão. Cerca de 450 pessoas se reúnem diante da Casa Branca para manifestar seu apoio ao povo afegão no Dia Internacional do Afeganistão.

 

SETEMBRO – A TFP norte-americana entra em campanha em Manhattan para protestar contra a ignóbil derrubada de um avião sul-coreano por caças russos (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 15).

 

Solidariedade para com os heróicos afegãos

SETEMBRO – Um membro da TFP lê declaração para um grupo de afegãos e norte-americanos diante do edifício das Nações Unidas, em Nova York, numa concentração pública de protesto pela inclusão, no seio da ONU, de representantes do governo títere do Afeganistão. A declaração manifesta a solidariedade das TFPs "com a luta heróica e inesquecível do povo afegão".

 

Intervenção em Granada

OUTUBRO – A propósito da intervenção dos Estados Unidos em Granada, a TFP norte-americana envia telegrama ao Presidente Reagan, no qual diz que "sua conduta no assunto de Granada foi altamente louvável, tanto em suas linhas gerais quanto em seus detalhes". E acrescenta que "a conduta responsável, sóbria e eficiente da força expedicionária foi exemplar".

 

 

1984

 

TFP a Reagan – Reagan à TFP

FEVEREIRO – Em sua declaração de 1984 à União, o Presidente Reagan afirma: "Depois de todas as nossas lutas para restaurar a confiança em nosso País e a esperança em nosso futuro; depois de todas as nossas vitórias arduamente conquistadas, obtidas pela paciência e a coragem de todos os cidadãos – não podemos, não devemos e não voltaremos atrás: terminaremos o trabalho".

Sentindo-se em consonância com esta declaração, a TFP envia carta ao Presidente apoiando sua resolução e anexando um elenco das principais atividades da Sociedade.

No dia 13 de fevereiro, o Presidente Reagan escreve à TFP norte-americana:

"Agradeço sua carta de apoio e o relato atualizado das atividades da Sociedade Americana de Defesa da Tradição, Família e Propriedade.

"Estou muito contente com o apoio que a vossa Sociedade me tem dispensado em várias ocasiões, e gostaria de expressar a todos os seus membros os meus melhores votos pelo crescimento contínuo da TFP e sua prosperidade. O momento presente dá muitas oportunidades aos Estados Unidos de fazer o bem, mas também impõe pesadas responsabilidades. Com seu apoio, com sua ajuda e a ajuda de todos os americanos patriotas, sei que nossa nação pode suplantar todos os desafios que nos esperam no futuro".

 

Pensamento político do Ocidente

MAIO – A TFP é honrada com a visita do sr. Robert Reilly, assistente especial do Presidente Reagan para as relações com a comunidade católica dos Estados Unidos. Num auditório repleto, o sr. Reyle analisa o desenvolvimento do pensamento político do Ocidente e sua relação com a doutrina social católica.

 

MAIO – A TFP norte-americana publica um opúsculo intitulado Toda a verdade sobre a Swapo: cristãos idealistas e heróis da liberdade e da justiça? ou instrumentos da agressão comunista internacional? O estudo mostra que a Swapo (South West Africa People's Organization) é um cavalo de Tróia do comunismo introduzido na Namíbia (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 16).

 

Honrosa visita

SETEMBRO – Dom Spiridon Mattar, Bispo católico do rito melquita da diocese Nossa Senhora do Paraíso, que estende sua jurisdição aos fiéis daquele rito em todo o Brasil, é recebido por numerosos cooperadores da TFP norte-americana e visita as instalações novaiorquinas da entidade.

 

Contra a própria finalidade

OUTUBRO – Para ilustrar a predisposição em favor da esquerda por parte das organizações pró-direitos humanos, a TFP norte-americana reproduz no "Washington Post" (11-10-84)  o documento de sua coirmã chilena Atenta contra os direitos humanos a Comissão Chilena dos direitos humanos (ver TFP chilena, outubro de 1984).

 

Sentido teológico da existência

JUNHO – A TFP norte-americana recebe a visita do exímio teólogo Pe. Victorino Rodríguez, O.P., que profere, em Nova York, ciclo de conferências sobre O sentido teológico da existência e O pecado coletivo: sua existência e sua natureza, ademais de breves exposições sobre a liberdade e a cultura católica.

 

 

1985

 

Sondagem da opinião

JANEIRO – A TFP formula a seguinte pergunta ao homem da rua: é melhor ser vermelho ou morto? Durante os fins de semana, por quatro meses consecutivos, 1.100 pessoas foram entrevistadas em Nova York, Nova Jersey, Rhode Island, Massachusetts, Pennsylvania, Missouri, Kansas, Colorado e Califórnia. A pesquisa demonstra que o setor mais anticomunista da população norte-americana é a juventude, na faixa de 15 a 25 anos: mais de 60% deles prefere morrer a viver sob a escravidão comunista.

 

Idéias, ações e conseqüências

FEVEREIRO – O ex-assistente especial do Presidente Reagan, sr. Morton Blackwell, que fundou o International Policy Forum com o intuito de promover o intercâmbio cultural entre conservadores nos Estados Unidos e líderes de outros países que lutam em favor da liberdade, esteve na sede da TFP norte-americana para proferir conferência sobre o tema Idéias, ações e conseqüências.

 

Simpósio sobre espiritualidade católica

MARÇO – A TFP é honrada com a visita do Pe. Antonio Royo Marín, O.P., teólogo e moralista de fama mundial.

Em ciclo de conferências realizadas para sócios e simpatizantes da TFP numa das salas da Universidade de São Francisco, na Califórnia, o insigne moralista fala sobre a natureza da verdadeira fé, e como esta pode ser discernida.

Em Los Angeles, o Pe. Royo Marín disserta sobre a perfeição cristã e como alcançá-la. A Fé e a Perfeição são as bases da civilização do Ocidente.

Em Nova York, o sacerdote realiza um simpósio de cinco dias para sócios e amigos da entidade sobre os verdadeiros princípios da espiritualidade católica. Salienta como certa maneira hodierna de lecionar Religião ignora esses princípios, caindo por vezes em erros como os da assim chamada "Teologia da Libertação".

 

Conservative Caucus

MARÇO – A TFP recebe a visita do sr. Howard Phillips, fundador e presidente do Conservative Caucus, e de sua esposa. É-lhes oferecido um jantar comemorativo do décimo aniversário da organização, no decurso do qual o visitante discorre sobre os desencantos da administração Reagan.

 

Fátima

MARÇO – Publicação da segunda edição do opúsculo Nossa Senhora de Fátima: Profecias de tragédia ou de esperança para a América e o mundo? Ao todo são enviados por correio um milhão e trezentos mil exemplares do folheto de propaganda da obra.

 

Contra a sovietização da Nicarágua

ABRIL – A TFP norte-americana se opõe à expansão russa: "Ortega não é mais que o executor das ordens de Castro na Nicarágua, do mesmo modo que Castro não é mais que o executor das ordens de Gorbachev em Cuba", são os dizeres de um grande cartaz da entidade, na manifestação de protesto realizada em Washington contra a ação soviética na Nicarágua.

 

Defesa do Ocidente e o homem da rua

MAIO – A TFP norte-americana tem a honra de receber a visita de Lady Olga Maitland, conhecida colunista, conferencista e fundadora da organização britânica Mulheres e Famílias pela Defesa. Lady Olga está persuadida de que a defesa do Ocidente contra a agressão russa não se decide somente pelos Chefes de Estado e estrategistas militares, mas pelo homem da rua, que é a base para qualquer política. Uma defesa forte, firme, só pode ser assegurada por um público informado e atento.

 

Dom Spiridon Mattar em visita à TFP norte-americana

AGOSTO – Dom Spiridon Mattar, Bispo da Eparquia Greco-Melquita Católica do Brasil, visita pela segunda vez a TFP norte-americana. S. Exa., após cordial recepção, celebrou Missa no rito melquita, em honra a Nossa Senhora, após a qual concedeu aos presentes a bênção episcopal.

 

Conferencista australiana

AGOSTO – A TFP recebe a visita da sra. Babette Francis, conhecida articulista e conferencista australiana, uma das dirigentes da organização Mulheres que querem ser mulheres e da Coalizão Internacional Pró-Família, que profere conferência para amigos da Sociedade em sua sede social de Bedford (Nova York).

 

Inquisição terapêutica?

SETEMBRO – A Comissão de Estudos e Pesquisas da TFP norte-americana elabora o estudo Lavagem cerebral, um mito explorado pela nova Inquisição Terapêutica, publicado em livro nos Estados Unidos e na Colômbia, e na revista "Catolicismo", do Brasil.

 

OUTUBRO – Protesto contra o filme blasfemo Je Vous salue, Marie, através de manifestações públicas e do envio, pelo correio, de mais de 300 mil exemplares de folheto. A entidade também está presente na manifestação de 8 mil católicos contra o filme, que se realiza no Lincoln Center de Nova York (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 17).

 

"America Needs Fatima"

OUTUBRO – Lançamento da campanha America Needs Fatima (A América necessita de Fátima), com o intuito de difundir a Mensagem de Nossa Senhora revelada nas célebres aparições naquela localidade de Portugal. Numa primeira fase, a campanha consiste na distribuição de cartões postais da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima e no envio, a todos os seminários diocesanos do País, de um exemplar do opúsculo sobre o assunto publicado pela TFP.

 

 

1986

 

Líder conservador

MARÇO – A TFP norte-americana oferece um jantar de cem talheres ao sr. Paul Weyrich, fundador e primeiro presidente da Heritage Foundation, presidente do Free Congress Research and Education Foundation e da Coalition for America. Durante o jantar, o sr. Weyrich faz explanação sobre a "Nova Direita" e recebe um pergaminho no qual se lia: "Ao sr. Paul Weyrich, cuja destacada presença na vida pública americana é um fator de estabilidade, dinamismo e êxito para as atividades do movimento conservador, a TFP norte-americana oferece este pergaminho como testemunho de sua amizade".

 

Homossexuais: classe privilegiada?

MARÇO – A TFP levanta seu protesto contra o projeto de lei de direitos dos homossexuais, por significar o reconhecimento legal de uma prática antinatural e ilícita, a criação de uma classe privilegiada e a violação da liberdade da Igreja. "Será que os homossexuais, que dizem ser uma minoria perseguida, se tornarão uma classe privilegiada?", é o que se pode ler no volante que a Sociedade distribui aos milhares pelas ruas de Nova York.

 

Acionistas da Chevron

MAIO – Na reunião anual dos acionistas da Chevron, em Atlanta (Geórgia), sócios e cooperadores da TFP se somam aos manifestantes contrários ao apoio dado por este gigante do petróleo ao regime comunista de Angola. A manifestação faz parte de uma campanha nacional tentando cortar o apoio de quase dois bilhões de dólares anuais pagos àquele governo títere de Moscou.

 

Livro sobre a Reforma Agrária no Brasil

OUTUBRO – Em conferência de imprensa realizada em Washington, diretores da TFP e vários líderes da "Nova Direita" fazem o lançamento da obra intitulada Está o Brasil resvalando para a extrema-esquerda? – Notas sobre a Reforma Agrária na maior potência territorial e demográfica da América do Sul, do sócio da TFP brasileira, sr. Carlos Patricio del Campo, publicada pela TFP norte-americana (12). O sr. Paul Weyrich, presidente da Heritage Foundation; o sr. Morton Blackwell, ex-assistente especial do Presidente Reagan; e o sr.–fa–ia8John Spann, presidente da TFP norte-americana, fazem uso da palavra. A obra é distribuída a diversas autoridades e a todo o corpo diplomático.

(12) Título original: Is Brazil Sliding Towards the Extreme Left? – Publications Department of the American TFP – New York, 1986. O livro conta com um prefácio do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira.

 

 

1987

 

Visitas episcopais

AGOSTO – O Bispo Auxiliar de Nova York, Mons. Austin Vaughan, visita a TFP, proferindo conferência sobre a importância da devoção a Nossa Senhora, para os propagandistas e simpatizantes que lotavam as dependências da sede social da entidade.

Ao Bispo Auxiliar de Guayaquil, Mons. Gabriel Diaz Cueva, é oferecido, quando de sua passagem por Nova York, um almoço na sede da Sociedade.

 

Abaixo-assinado a João Paulo II

SETEMBRO – Por ocasião da visita pontifícia à cidade de Miami, um grupo de cubanos desterrados entrega a S.S. João Paulo II mensagem assinada por 75.852 cubanos, pedindo sua alta intervenção em prol dos prisioneiros políticos da desditosa ilha. As assinaturas foram obtidas com a colaboração da TFP. Dois Bispos, 36 padres e personalidades de destaque na vida política e cultural cubana subscreveram o documento, que foi divulgado pela imprensa (13).

(13) Cfr. "Diario de las Américas", Miami, 7-8-87; "Miami News", 5-9-87; e "Miami Herald", 6-9-87. O evento também foi noticiado pela televisão.

 

Congresso nas Montanhas Rochosas

OUTUBRO – Em meio às neves eternas das Montanhas Rochosas, realiza-se em Denver (Colorado) um congresso com três dias de reuniões, com a participação de trezentas pessoas. Seu ponto ápice é a conferência proferida pelo conceituado teólogo espanhol Pe. Victorino Rodríguez O.P., sobre a Teologia da Paz, e o lançamento de três livros: The Life of the Very Noble King of Castilla and León, Saint Ferdinand III (*), pela Irmã Maria del Carmen Fernández de Castro Cabeza (The Foundation for a Christian Civilization, Bedford, New York, 1987, 280 pp.; Madera para esculpir la imagen de una Santa (**), pelo Mons. Luis E. Cadena y Almeida (The Foundation for a Christian Civilization, Bedford, New York, 1987, 190 pp.); e The Rosary: Great Weapon of the Twentieth Century (O Rosário: a grande arma do século XX), 94 pp.

(*) A vida do mui nobre Rei de Castela e Leão, São Fernando III, biografia do Santo rei, modelo de herói e de chefe de Estado.

(**) Trata-se de uma biografia da Madre Mariana de Jesus Torres (sec. XVI), uma das fundadoras do Convento da Imaculada Conceição de Quito, famosa hoje em dia pelas revelações que recebeu da Santíssima Virgem acerca da expansão da impiedade e do caos que haveriam de sofrer no século XX as então colônias espanholas, que se estendiam por todo o território da América do Sul.

 

Encontro no Missouri

NOVEMBRO – Realiza-se em Saint Louis encontro regional para correspondentes da TFP. O Padre Antonio Royo Marín O.P. discorre sobre a Teologia da Perfeição Cristã. Na ocasião é lançada a tradução inglesa do livro de sua autoria: Theology of Christian Perfection.

 

Prestigiosa conferência

OUTUBRO – O Bureau-TFP em Washington organiza, no Capitol Hill Club, anexo à sede nacional do Partido Republicano, seleto almoço no qual usa da palavra Pe. Victorino Rodríguez, O.P., pensador tomista universalmente conhecido. Faz a apresentação do insigne teólogo o diretor do Bureau, sr. Mario Navarro da Costa. A conferência do ilustre pensador versa sobre A Teologia da Paz: o ideal da paz visto pelos homens cristãos, generosos e fortes, e não pelos fracos, ingênuos e sem fé, e desperta vivo interesse entre os sessenta participantes. Entre estes figuram os deputados James Bilbray (democrata de Nevada), John Myers (republicano de Indiana), Robert Dornan (republicano da Califórnia), Thomas Bliley (republicano da Virgínia) e Thomas Foglietta (democrata da Pennsylvania), além de personalidades de grande destaque nos círculos conservadores norte-americanos.

 

 

1988

 

"Muro da vergonha" continental

JANEIRO – A "TFP Newsletter" reproduz a reportagem especial de "Catolicismo" intitulada A cerca da amargura na Nicarágua (ver TFPs: ações conjuntas em âmbito internacional 6).

 

Terrível realidade nos países bálticos

ABRIL – Por ocasião do aniversário da independência dos países bálticos, hoje oprimidos pelo comunismo, a TFP realiza campanha na Quinta Avenida de Nova York para esclarecer a opinião pública a respeito da terrível realidade ali existente.

 

Uma atuação que faz Manhattan ferver

AGOSTO – Nos dias 11 e 12 a TFP norte-americana publica página inteira no "New York Times", respectivamente na edição nacional e local, contendo carta aberta de protesto ao diretor da Universal Pictures, empresa cinematográfica responsável pelo lançamento do filme, blasfemo contra a pessoa sagrada de Nosso Senhor Jesus Cristo, intitulado A última tentação de Cristo.

No dia 11, de manhã, formam-se as primeiras filas diante das bilheterias do Cine Century City. O número de populares que compram ingressos é relativamente reduzido. Na calçada já podem ser vistos os primeiros manifestantes contrários ao filme.

Às 10,30 horas, uma centena de sócios e cooperadores da TFP levantam estandartes e estendem faixas na 5ª Avenida. Em torno deles se aglomeram transeuntes para ouvir os slogans da campanha. O som se propaga pela grande artéria novaiorquina, amplificado pelo eco dos prédios.

Trinta mil exemplares de um folheto de excelente apresentação gráfica, contendo o texto da carta aberta, são distribuídos à população. O "Los Angeles Times" (13-8-88) registra o fato de que "representantes" da TFP norte-americana distribuíam volantes "mostrando o rosto de Nosso Senhor com sangue escorrendo pelo seu pescoço e face".

Enquanto a campanha prossegue na 5ª Avenida, um grupo de sócios e cooperadores da TFP se destaca e entra na Rua 53, rumo à 6ª Avenida, onde está localizada a sala de espetáculos que projetará o filme.

A chegada em bloco da TFP em frente ao Cine provoca movimentação geral de repórteres e da Polícia. Esta forma um cordão de isolamento entre os manifestantes e a fila das bilheterias.

Com a entrada em cena da TFP, grupos de manifestantes de outras organizações tomam novo ânimo. Vários erguem o folheto da TFP como símbolo da manifestação.

Os protestos contra o filme redobram e ecoam dentro da sala de espetáculos. Pessoas ligadas à direção do cinema saem para gritar insultos contra os manifestantes. Mas não insistem, por não encontrar eco nos populares.

Durante todo o dia os participantes da campanha sobem e descem a 5ª e a 6ª Avenidas, "trovejando contra a `blasfêmia' de Scorsese", segundo descreve o vespertino "Clarín", de Buenos Aires (13-8-88), baseando-se em despacho da agência ANSA.

O diário madrilenho "ABC" (13-8-88) assinala que esta foi a "mais violenta controvérsia que agitou o cinema nos últimos tempos", destacando o papel do "anúncio de página inteira" da TFP, o qual "enumera pontos moralmente objetáveis do filme".

Também em Washington, Denver e Los Angeles a TFP promoveu demonstrações de protesto semelhantes.

Cerca de trinta entrevistas a repórteres da imprensa norte-americana e estrangeira foram concedidas pela TFP nos dias da campanha.

Tanto em Nova York como em Washington, Denver e Los Angeles, os telefones das sedes locais não bastaram para atender o número de chamadas de solidariedade.

A mídia internacional – inclusive as grandes agências noticiosas UPI e ANSA – deu prova de inusitada liberalidade, ao divulgar largamente o ato de repúdio da TFP norte-americana contra o filme blasfemo, bem como a matéria de página inteira publicada pela entidade.

Jornais e cadeias de televisão dos Estados Unidos, França, Itália, Alemanha, Espanha, Argentina, Chile, Colômbia, Uruguai e até da Austrália publicaram noticiários sobre a campanha da TFP norte-americana (14).

(14) Repercussões da mídia que chegaram ao conhecimento da TFP: "Le Figaro", Paris, 12-8-88; "TV Manchete", Rio de Janeiro, 12-8-88; "Corriere della Sera", Milão, 13-8-88; "Clarín", Buenos Aires, 13-8-88; "ABC", Madrid, 13-8-88; "Folha de S. Paulo", 13-8-88; "Folha da Tarde", São Paulo, 13-8-88; "Jornal do Brasil", Rio de Janeiro, 13-8-88; "Correio Braziliense", 13-8-88; "Tribuna da Imprensa", Rio de Janeiro, 13-8-88; "O Liberal", Belém, 13-8-88; "A Província do Pará", Belém, 13-8-88; "O Globo", Rio de Janeiro, 13-8-88; "Los Angeles Times", 13-8-88; "La Repubblica", Roma, 13-8-88; "La Stampa", Turim, 13-8-88, "Diario Popular", Buenos Aires, 13-8-88; "Rocky Mountain News", Los Angeles, 14-8-88; "Diario da Republica", Montevidéu, 14-8-88;  "Avvenire", Roma, 14-8-88; "Diario 16", Madrid, 15-8-88; "Gazeta Mercantil", São Paulo, 16-8-88; "A Tarde", Salvador, 16-8-88; "Gazeta", Vitória, 16-8-88; "La Prensa", Buenos Aires, 16-8-88; revista "Veja", 17-8-88; "El Mercurio", Santiago, 24-8-88. Na Austrália, noticiários de televisão fazem referências ao lance da TFP norte-americana.

 

American Society for the Defense of Tradition, Family and Property

President: Raymond Drake

Secretary: Steven Schmieder

Publication Officer: John Horvat

Assistant Secretary: Phillip A. Moran

Endereço principal: P.O. Box 121 Pleasantville, NY 10.570

 

Tópico seguinte

ÍNDICE GERAL