UMA UNIVERSIDADE CATÓLICA

 

O "Legionário" n.º 43, 22 de setembro de 1929

 

Acompanhando-se o desenvolvimento que, entre nós, tem tido a idéia da criação de uma grande universidade, constata-se com pesar que, em muitos meios, não se cogita das brilhantes realizações que, neste assunto, têm levado a efeito os católicos europeus e norte-americanos. Para os bons católicos, no entanto, a questão universitária não pode ser indiferente, porque a ela se prendem graves problemas relativos à mocidade, esta mocidade que tem merecido do Santo Padre tão carinhosa dedicação.

A Universidade de Louvain, na Bélgica, é um dos maiores centros intelectuais católicos da Europa, e nos fornece as mais interessantes observações em matéria de universidades católicas. Os cursos de Direito, Medicina, Agronomia, Comércio e Engenharia são freqüentados por estudantes católicos que, ao par de uma profunda instrução recebida nas faculdades que resolveram cursar, recebem um ensino religioso sólido, cujos efeitos salutares são secundados pelo ambiente que reina, não só na Universidade, como também em toda a cidade de Louvain. Longe dos atrativos pouco recomendáveis das grandes cidades, influenciados pelos ensinamentos de mestres de competência universalmente reconhecida e pelos exemplos de companheiros, o estudante encontra-se em um meio em que o desenvolvimento científico é esclarecido pela Fé e facilitado pela vida irrepreensivelmente morigerada de seus colegas.

Além dos cursos propriamente ditos, há, anexos à Universidade, diversos institutos de aperfeiçoamento científico. Assim, os estudantes de Direito, Filosofia e Letras podem, mediante pagamento de duzentos francos, cursar durante dois anos o magnífico Instituto de Filosofia, recebendo finalmente o diploma de bacharel em Filosofia tomista. Todos os estudantes devem freqüentar um curso de Religião que, aliás, é especialmente útil aos estudantes de Medicina, cujas numerosas ocupações absorvem todo o tempo requerido pelos estudos filosóficos. Sumidades de incontestável notoriedade orientam o curso de Sociologia. O curso de Ciências Políticas e Sociais, que é franqueado somente aos estudantes que preencham certas condições de competência, apresenta vantagens incontestáveis a todos os bacharéis, posto que, dada a sua natureza, possa também interessar aos futuros médicos e agrônomos.

Para os estudantes desejosos de completar sua formação intelectual adquirindo conhecimentos artísticos, recomenda-se o curso de Arqueologia e Filosofia da Arte. Salientam-se, por seu grande valor, diversas conferências, entre as quais se distinguem a de São Tomás, de Literatura e de Direito Internacional. São notabilíssimos os círculos de estudo de Direito, Indústrias, Literatura, Política Externa e Filosofia.

Como vemos, não pode ser mais perfeita uma universidade. Sua organização bem denota o zelo dos seus orientadores. Para exemplos como [este] é que os intelectuais brasileiros deveriam ter constantemente voltadas suas vistas. Infelizmente, porém, parece que a atenção pública é despertada de preferência pelas universidades cuja vida pode apreciar facilmente através dos filmes, sem se lembrar dos interesses superiores da Fé e dos bons costumes.

*   *   *