Capítulo I

 

 

Dois níveis de calma

 

 

 

 

 

 

 

  Bookmark and Share

A palavra calma tem dois sentidos. No primeiro não se é colocado diante de um objeto que provoca ira nem cause pavor, medo, apreensão. Noutro sentido isso acontece, e trata-se de um modo de ter ira, medo ou apreensão, porém sem perder em nada o governo de si. Isto também pode chamar-se calma, mas em outro sentido da palavra.

Como a calma é o inteiro governo de si, podese denominar calma a conservação do autodomínio em uma situação própria a perder esse governo de si, e que o está pondo em choque, em tensão. Já não é a calma no sentido pleno da palavra, mas a conservação da tranquilidade dentro da alma. Consiste mesmo naquilo que a calma tem de mais nobre, mas não é propriamente a calma, sendo denominada assim apenas por uma acomodação de linguagem, por uma adequação. A pessoa é posta numa situação capaz de provocar a efervescência da sensibilidade, no entanto, pelo império da vontade esta é reduzida estritamente a seus primeiros borbulhares. Além disso a vontade não permite que passe.

Marechal Ferdinand Foch (1851-1929)

Por exemplo, no Estado Maior do Marechal Foch,8 na Primeira Guerra Mundial, havia a calma por excelência, mas não era calma no sentido pleno da palavra. Era calma no que ela tem de mais nobre, que é a conservação de todo o equilíbrio e toda objetividade em situação adversa. Mas não era calma no sentido de ausência de tensão, susto, cólera.

Há alguma coisa que, conforme as circunstâncias, o indivíduo não consegue vencer, porque não  é natural que vença. Sem embargo disso, ele se conserva vitorioso sobre aquilo em todo limite do que é humano.

Um exemplo comum, muito ilustrativo: um mártir entra na arena e vê o leão que vai devorá-lo. Salvo por uma ação superior da graça, o instinto de conservação se apresenta imediatamente e produz certo efeito, que o indivíduo pode nobremente impedir que o domine. Mas é inevitável que ele sinta um primeiro trauma de perturbação. O que consegue é manter aquele princípio de perturbação nos limites necessários. Ele tem a calma por excelência, que é a de manter-se tranquilo até diante de um leão. Mas já não é a calma em todo o seu desenvolvimento.

8. Ver mais adiante A calma durante a guerra.

Adiante

Índice

Atrás


Bookmark and Share