Plinio Corrêa de Oliveira

 

 

Cardeal Segura y Sáenz:

 

"Enquanto estiver vivo, lutarei!"

 

 

 

Catolicismo, Junho de 2006 (*)

  Bookmark and Share

 

Dom Pedro Segura y Sáenz. Nascido em Carazo (Burgos, Espanha), em 4 de dezembro 1880. Ordenado sacerdote em 1906 e sagrado Bispo em 1920. Seis anos mais tarde, Arcebispo de Toledo. Elevado à púrpura cardinalícia no Consistório de 18 de dezembro de 1927. Em 1937 foi designado Cardeal-Arcebispo de Sevilha, cuja sede ocupou até sua morte, em 8 de abril de 1957.

Observe-se o Cardeal Segura. Bela veste, muito digna, que os eclesiásticos usavam nas funções religiosas. Mas merece atenção especial sua fisionomia. Vale a pena ver a evolução.

Homem moço (foto acima), direito, preservado, mas hesitante diante da vida. Percebe-se sua retidão, mas não se imagina que se tornaria o futuro leão lutador, que depois foi. No contato com os adversários da Igreja, sua retidão de consciência foi se transformando em heroísmo.

 

 

Na foto acima, o Cardeal está saindo do palácio, preso. Entretanto, notem a tranqüilidade do Cardeal, e sua inteira firmeza. Sério, sem falar com ninguém nem comentar nada. Está preso, e o prisioneiro não deve se comunicar com o carcereiro.

 

 

Na outra foto (3), nota-se que a fisionomia do então Cardeal-Arcebispo de Sevilha não mais está indecisa. É como um homem que está sentindo algo dos efeitos dos anos e da vida. Sua atitude é de quem perscruta o horizonte e vê aproximar-se um inimigo longínquo, mas que é terrível. E como que se pergunta: “Então essa é a luta, a qual terei que enfrentar? Nota-se que ele está entrando dentro da neblina do combate que vai travar.

 

 

Na pintura do Cardeal já idoso (4), percebe-se o peso da idade, e que o sofrimento o atingiu. A firmeza, entretanto, é maior. É o Cardeal que travou todas as batalhas. Tem-se a impressão de um navio que singrou tantos mares, que está cansado de navegar. Contudo, está animoso e disposto a prosseguir o combate. Ter-se-ia vontade de escrever embaixo a frase da Sagrada Escritura: “Dolores mortis circundederunt me” (As dores da morte me circundaram). O olhar é pensativo, sobrecarregado de previsões pesadas, de lutas e de batalhas, mas como quem diz: Enquanto estiver vivo, lutarei!

Estas considerações sirvam como estímulo para rezarmos pela canonização do Cardeal Segura y Sáenz. Seria magnífico exemplo para a Cristandade, e um ato de justiça. Modo também de glorificar devidamente o Colégio Cardinalício e ensinar quais são as virtudes próprias de um cardeal. 


(*) Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, em 6 de maio de 1988. Sem revisão do autor.


ROI campagne pubblicitarie