15 de maio de 1991

Declaração sobre o aborto

No atual debate acerca da ampliação do número de casos em que a lei permite o aborto, minha posição jamais variou: sempre fui e sou contrário a qualquer forma de aborto.

Com efeito, imagine-se um projeto de lei dotando os pais do direito de matar seus filhos nas primeiras 24 horas de vida deste. O projeto naufragaria em meio a um clamor geral de indignação. Falar-se-ia da matança dos inocentes etc., e a justo título.

Que crime cometeu o nascituro para que se lhe possa tirar o direito à vida até o momento em que tenha nascido, tratando-o em certos casos, como um delinqüente, de maneira que, só depois de nascer é cercado do carinho geral, aclamado como um bebê encantador e amparado pela proteção legal, em todo e qualquer caso?