Plinio Corrêa de Oliveira

 

Nobreza e elites tradicionais análogas nas alocuções de Pio XII ao Patriciado e à Nobreza romana

 

Apêndice à edição Norte-Americana

Setembro de 1993

  Bookmark and Share

 

 

ÍNDICE

 

ESTADOS UNIDOS: NAÇÃO ARISTOCRÁTICA NUM ESTADO DEMOCRÁTICO

INTRODUÇÃO

 

CAP I - ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NOS ESTADOS UNIDOS

1. Uma imagem unilateral dos Estados Unidos

a. A influência do mito americanista

b. Alexis de Tocqueville, principal artífice de uma falsa visão

2. A escola elitista

a. A falência do mito liberal

b. Algumas idéias-mestras da escola elitista

c. Elites, estratificação e desigualdades sociais: Elementos indispensáveis numa sociedade orgânica

3. As elites nos Estados Unidos

a. A sociedade norte-americana é hierarquizada

b. A história dos EUA é feita principalmente por suas elites dirigentes

4. O paradoxo norte-americano

                    Origens e efeitos do paradoxo americano

5. Conceito e fontes de status na sociedade norte-americana

a. Riqueza

b. Família e parentesco

c. Educação

d. Clubes e associações

e. Cargo e autoridade

6. A hereditariedade do status social tende a formar uma aristocracia

7. Transmissão hereditária das qualidades e do mérito como patrimônio familiar

CAP II - ELITES AUTÊNTICAS E INAUTÊNTICAS

1. Elites

a. Elites locais

b. Elites nacionais e internacionais

c. Elites tradicionais, aristocráticas e autênticas

d. Elite e classe alta

e. O refinamento das elites

2. Elites inautênticas

a. A "saparia"

b. Caráter malfazejo da "saparia"

c. Os "sapos" e o comunismo

d. O "jet set"

3. As diferentes vias para as elites autênticas e inautênticas

a. O caminho da assimilação às elites tradicionais

b. As vias da "saparia"

4. Classes sociais

a. O conceito de perfeição aplicado aos indivíduos e às famílias

b. É próprio a todas as classes sociais tender à perfeição

c. Nosso Senhor Jesus Cristo, tipo humano perfeito

5. Aristocracia

a. A aristocracia cristã

b. Aristocracia e santidade

c. A aristocracia sintetiza as perfeições da coletividade

d. Aristocracia e grandeza

 

CAP III - O SENTIMENTALISMO COMO EXPLICAÇÃO PARA UMA MENTALIDADE IGUALITÁRIA

1. Uma compaixão mal entendida

2. Filantropismo liberal, reformista e igualitário

CAP IV - A ESTRUTURA JURÍDICO-SOCIAL DA COLONIZAÇÃO

1. A estrutura social inglesa na era da colonização: Uma visão geral

2. Os primeiros colonizadores e povoadores ingleses no Novo Mundo: O início de uma aristocracia colonial nativa

  • Depoimentos sobre a formação dessa aristocracia colonial nativa

  • 3. A estrutura jurídica das colônias norte-americanas propiciou o desenvolvimento de elites

    a. Colônias reais

    b. Colônias corporativas

    c. colônias de donatários

    Depoimentos de autores sobre o governo de donatários nas colônias norte-americanas

    4. Feudalismo nos Estados Unidos

    a. As Manors

    b. Transformação das manors nas colônias do sul, rumo a uma sociedade de plantações

     

    CAP V - FORMAÇÃO DE UMA ARISTOCRACIA COLONIAL NAS DIVERSAS REGIÕES *

    1. O Sul Colonial: Virginia, Maryland, Carolinas

    a. Virginia - aristocracia dos grandes plantadores

    1) Os primeiros anos da colonização

    2) Nasce uma aristocracia

    3) As plantações

    4) Uma aristocracia de plantadores-negociantes

    5) Poder político da aristocracia rural

    6) Papel militar da elite colonial

    7) O senso das obrigações sociais na classe dos plantadores

    8) Vida social e tônus aristocrático

    9) Mudança de mentalidade

    10) Mobilidade social

    b. Maryland

    1) Revolta protestante contra um donatário católico

    2) Caráter feudal das manors de Maryland

    c. As Carolinas

    1) A Constituição nobiliárquica das Carolinas

    2) A aristocracia colonial das Carolinas

    3) Charleston: uma vida social brilhante

    2. Nova Inglaterra: Massachusetts, Connecticut e Rhode Island

    a. Os tempos iniciais: a "sociedade religiosa" dos puritanos

    b. Uma elite urbana e mercantil

    c. Uma aristocracia opulenta com liderança política

    3. Nova York

    a. Patroons holandeses e manors inglesas

    b. Uma classe dirigente formada por proprietários rurais, negociantes e advogados

    c. O controle político pela elite colonial em Nova York

    4. Dos quakers da Pennsylvania aos gentlemen de Filadélfia

    a. Uma utopia igualitária de fundo religioso

    b. Progresso material forma elites aristocráticas

    c. Brilho social, econômico e cultural de Filadélfia

    5. Geórgia: O malogro de um planejamento filantrópico

    6. O anti-catolicismo ao longo do período colonial

    CAP VI - REVOLUÇÃO AMERICANA, INDEPENDÊNCIA E CONSTITUIÇÃO

    1. Elites coloniais no período revolucionário (1763-1781)

    a. Do ressentimento pessoal ao desejo de uma república aristocrática

    b. A Revolução Americana: obra de elites

    c. A divisão da sociedade colonial em face da Revolução

    2. A Declaração de Independência (1776)

    3. Os anos que se seguiram à independência (1781-1787)

    4. A Constituição: seus autores e suas metas (1787-1788)

    a. Os Founding Fathers: uma elite aristocrática nacional

    b. O passo atrás dado pela Constituição

    5. Federalistas e anti-federalistas

    6. Tendências aristocráticas e monárquicas na época da Independência e da Constituição

    CAP VII - A REPÚBLICA NORTE-AMERICANA ATÉ A GUERRA CIVIL

    1. A república aristocrática (1788-1828)

    A transformação do país nesse período

    2. As etapas análogas de uma Revolução internacional

    3. A época de Jackson: a democracia popular (1828-1840)

    a. Conseqüências políticas, econômicas e sociais para as elites tradicionais

    b. As novas lideranças

    4. As elites nas décadas anteriores à Guerra Civil

    a. Na região norte: ascensão e assimilação dos novos ricos

    b. Como passaram a viver as elites tradicionais no norte

    c. No sul: O plantador, ápice social e tipo humano

    5. O anti-catolicismo no período anterior à Guerra Civil

     

    CAP VIII - AS ELITES APÓS A GUERRA CIVIL

    1. Revolução social conseqüente à Guerra Civil

    2. Os novos ricos e as elites tradicionais

    3. A Revolução Industrial

    a. A Revolução Industrial nos Estados Unidos

    b. Uma transformação de mentalidade

    c. Super-produção e super-consumo — Equilíbrio e temperança

    d. O mito do "self-made man"

    4. As instituições privativas: preservação e assimilação

    a. Trusts e fundações familiares

     

    CAP IX - AS ELITES TRADICIONAIS NOS ESTADOS UNIDOS DE HOJE

    1. As elites tradicionais na classe alta

    2. As elites tradicionais em outras categorias sociais

    3. Associações próprias às elites tradicionais

    a. Seu caráter aristocrático

    b. Seu caráter privativo

    4. Alguns exemplos de associações de elites tradicionais nos Estados Unidos

    a. Sociedades patrióticas de caráter hereditário

    b. Sociedades de tônus essencialmente aristocrático

    c. Associações familiares

    d. Sociedades de descendentes da nobreza européia

    e. Associações tradicionais de outras etnias

     

    EPÍLOGO - VOLTAM-SE AS ESPERANÇAS PARA AS ELITES MARGINALIZADAS