Frases e axiomas

 

de

Plinio Corrêa de Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

  Bookmark and Share

Para verificar o contexto em que foram escritas, basta clicar na palavra e/ou na frase assinalada e nosso prezado visitante será encaminhado diretamente ao documento original, com a indicação da fonte e respectiva data. 

As frases serão colocadas em ordem alfabética, em função das palavras destacadas.

*     *     *

A

* Ter sempre em mãos a própria alma para a governar continuamente!... Que elogio! Quanto isto vale mais do que dirigir um avião superpotente, um país inteiro, ou até um banco (uso aqui a escala de valores característica de certa mentalidade supermoderna).

* Como se compreende completa e rapidamente aquilo que já se começou a amar! E como é difícil entender bem todo o alcance, sentir todas as consequências daquilo que não se ama!

* A criatura humana é o que há de mais típico em matéria de "Ambientes, costumes, civilizações". Entretanto, é por vezes mais difícil interpretar a significação de uma fisionomia do que a de um móvel ou um prédio.

* Nesta vida o homem, em todas as idades, tem de se dedicar ao esforço de formar-se e reformar-se, preparando-se assim para o Céu, que é só onde cessa a nossa marcha para a perfeição. Assim, o católico pode e deve exigir dos ambientes em que está, que sejam instrumento eficaz para sua formação moral.

* Também a ambigüidade ante o inaceitável pode ser uma forma de aceitação.

* Estou persuadido de que a vietnamização da América do Sul é velho plano do qual de nenhum modo abrirá mão Moscou. E se aparecer no horizonte nova complicação política tendente a nos vietnamizar, o presente artigo tem uma utilidade como que notarial, tabelioa. Pois me servirá de prova de que, por detrás dessa nova complicação, desde o início estivera Moscou.

* Para os espíritos levianos, as obras de superfície parecem sempre as mais importantes: construções de vulto, movimentos de massa e mais números e mais números: eis os únicos grandes serviços prestados à Igreja (segundo essa falsa concepção de apostolado)

* Para o espírito do século, há uma oposição irremediável entre contemplação e ação, entre oração e polêmica, entre vida espiritual e apostolado.

* O que é a doutrina católica? É um conjunto de verdades. Desde que, nesse conjunto, uma só verdade fosse adulterada, a doutrina católica já não seria ela mesma. Assim, tentar acomodá-la, adaptá-la, ajeitá-la, é trabalhar para que Ela perca sua identidade consigo mesma: em outros termos, é tentar matá-la. E achar que o apostolado não é possível sem essa adaptação é achar que a Igreja só pode vencer morrendo!

* Se amamos ao próximo como a nós mesmos, demos-lhe a Fé, nosso maior tesouro. (apostolado)

* Há uma grande diversidade de almas... E implicitamente deve haver uma grande variedade de atitudes no apostolado. Errará a “técnica de apostolado” que não tomar em consideração esta verdade fundamental. Que admiração causavam aos pagãos que enchiam o Circo Romano e o Coliseu, as profissões de Fé desassombrada dos mártires!

* Nos tempos de hoje, quem não é apóstolo é apóstata.

* Por vezes, se faz necessária uma verdadeira ascese para ver o óbvio. Por exemplo, quando isto nos obriga a passar da esfera deslumbrante das grandiosas planificações de progresso, de um mundo próspero e em paz, para os problemas angustiantes inseparáveis da previsão e análise dos perigos que o futuro traz em seu bojo.

* Anos atrás, a Igreja e os Estados Unidos eram, nos respectivos planos, as duas maiores potências anticomunistas. Hoje, cada qual está engajada num misterioso processo de autodemolição.

* Uma autoridade eclesiástica que se julgue injustamente acusada deve considerar grave dever pastoral defender-se. E se reconhece justa a acusação, tem o dever quiçá ainda mais grave de desculpar-se. Quanto a este último ponto, consideremos o exemplo que nos foi dado pelo maior Papa de nosso século. Pio XII o elevou à honra dos altares. Refiro-me a São Pio X.

 

B

* Escreveu Camões que "um fraco rei faz fraca a forte gente". A contrario sensu, um forte Bispo pode incutir, pela palavra e pelo exemplo, notável valentia em seus diocesanos.

* A invasão de uma bobeira egoística, otimista, e míope mina a vontade de resistência de nossos povos.

* É fácil paralisar pelo pânico a característica poltronice burguesa!

* (Brasil) Na realidade, nossas massas são tranquilas, ordeiras e de boa paz. Elas não têm ojeriza aos ricos nem à polícia. E a indignação que lhes vai na alma contra o Poder público, não é porque este mantém os direitos da grande e média propriedade, mas, pelo contrário, porque não protege a pequena propriedade e a segurança pessoal do homem comum, porque deixa as ruas entregues ao roubo impune, como aliás também à sanha sexual.

* Todo o Brasil conhece o terrível peso que têm em seu orçamento os gastos com a administração pública, dotada de incontáveis servidores, mas geralmente tida e havida como inoperante, lerda e terrivelmente inflada. – A par disso, não há quem ignore o peso terrível das empresas estatais que o Poder Público teve a inabilidade e a imprevidência de comprar e constituir na última década do regime militar.

* Não compreendo, absolutamente não compreendo, por que motivo o Brasil de há muito já não restituiu à iniciativa privada as empresas estatais cujo déficit vai devorando nossos recursos. Da mesma maneira, não compreendo como um clamor nacional autenticamente suprapartidário não forçou a adoção dessa medida.

* Nosso país é um país cordato, um país que ama a mansidão. Mas se algum dia alguém de nós se aproximar e disser: “És ainda tu o Brasil cristão? Não aceitas a pressão que se quer fazer contra ti?” Eu tenho a certeza que esta nação responderá com uma força que ainda ninguém lhe conhece, mas que está nascendo nas tormentas do momento atual.

* Indiscutivelmente, há mais pobreza na trivialidade do burguês, que na espiritual indigência do caipira. A superioridade de espírito do caboclo não é titulo que justifique sua inércia. É, antes, motivo para que se aproveite seu potencial interior na construção de um Brasil grande. - Vivemos em um ambiente em que os maiores plutocratas são agarrados, pequeninos e egoístas como os mais ínfimos burgueses. A avidez e a ganância do proletariado neo-pagão também é bestial e repugnante. O caboclo, pelo contrário, na sua miséria semi-voluntária, tem larguezas de um "grand seigneur" - O caipira ainda mesmo quando desfigurado pelo amarelo de dentes sujos e cariados, metido em uma roupeta que conserva restos muito indecisos de sua antiga cor branca, ou das listas de cor que outrora a riscavam, sabe fazer uma coisa que a maior parte dos "modernos" esquecem.

* O caráter fundamentalmente católico é a mais importante característica da tradição nacional. Ainda está para ser feita uma História da Igreja no Brasil. No dia em que tal se fizer, e em que for possível pôr à mostra as raízes religiosas de muitos dos principais acontecimentos históricos de nosso País, ver-se-á o quanto a História oficial se empenhou em desfigurar a verdade.

* Somente em uma restauração de suas tradições religiosas pode o Brasil encontrar remédio para seus numerosos males. Esta restauração, porém, não deve ser de forma nenhuma o regresso puro e simples do passado, mas a readaptação de nossa vida pública e particular aos valores espirituais eternos, e portanto de uma perene atualidade, que refulgem nas tradições de nossa História.

* Não façamos dos louros de hoje a sepultura gloriosa de nossas energias de ontem - Quando todas as nações do mundo esperavam ver uma nova China na América do Sul, o Brasil se reergue de seus escombros como nova fênix.

* Se o Brasil quiser ser a grande nação de cruzados e missionários, é por meio de uma ardente piedade marial que conseguirá essa graça. E se quiser essa graça, há de implorá-la pelos meios que a própria Virgem indicou (em Fátima: a devoção do Coração Imaculado de Maria e a do Santo Rosário).

* Somos um povo [referindo-se ao brasileiro] emotivo. Um favor, uma atenção, por vezes um mero sorriso podem abrir-nos a alma. Mas, em sentido contrário, uma recusa, um esquecimento, um cumprimento vago e distante nos podem melindrar.

* O terreno próprio para a má semente não é o estômago vazio dos indigentes, mas o cérebro vazio de alguns burgueses (a propósito da afirmação de Luiz Carlos Prestes: “No Brasil só se pode fazer a revolução comunista por meio dos intelectuais que nos ajudariam a formar uma geração intelectual futura comunista. Logo, são as classes ricas o alvo predileto da propaganda comunista”)

* A burocracia é guiada pela ideia e pelos moldes da eficiência (ainda quando não seja realmente eficiente, o que ocorre no mais das vezes). E a eficiência não tem nada a ver com o que é intimamente humano, porque não passa de uma categoria mecânica.

 

C

* Infelizmente, a tarefa do clero de esquerda se tornou bem clara no Brasil e no mundo. Menos claro é, para muitos leitores, a missão esquerdista do capital. (...) Digressões no ar, de um reacionário situado no campo doutrinário mais genuíno em matéria de reação, como graças a Deus sou? Não: um dos maiores doutrinadores do comunismo, Engels, afirma o mesmo, e exprime a este propósito toda a sua gratidão admirativa para com o capital.

* A caridade deve ser a arma invariável de nosso apostolado. Mas ela não é o contrário de argúcia e de combatividade.

* Quando desaparece o espírito sobrenatural, a caridade ou degenera em romantismo adocicado e se torna ridícula, ou desaparece sob as lufadas do egoísmo.

* Há modos de faltar com a caridade combatendo. Como há modos de não combater em que se falta com a caridade.

* Às vezes, o excesso de argúcia implica em falta de caridade. Outras vezes, pecamos contra a caridade por não termos sido suficientemente argutos.

* A caridade se acha como que deteriorada por uma certa infiltração de materialismo: compreende-se, pratica-se e louva-se a caridade feita em benefício do corpo. Foge-se, censura-se, condena-se a caridade feita em benefício do espírito. É uma espécie de filantropia materialista, que vê no corpo o fim último do homem, e no espírito apenas um acessório destinado a registrar benevolamente as delícias de que o corpo deve gozar.

* O maior mal do Brasil não é a inflação monetária. E' a deflação dos caracteres

* Só há duas atitudes coerentes em face do casamento: a sua negação ou a sua indissolubilidade.

* O cinismo é um predicado bem totalitário. Ostentam-no à porfia nazistas e comunistas.

* Ser católico e ter medo de sofrer por Deus é fazer deste um mero banqueiro.

* Mostremos com santa ufania as cruzes, os espinhos, as lutas que se encontram no caminho do verdadeiro católico / Tal atitude não afugentará os neófitos, se lhe soubermos mostrar esse caminho resplendendo de glória pelo esplendor do sol das almas que é o Coração de Jesus, e suavizado a cada passo pelo sorriso maternal de Maria.

* Os centristas e os direitistas são – cada um desses setores a seu modo – homens de ordem. E o próprio de quem ama a ordem consiste em não exprimir seu desagrado em termos de agitação e desordem. Essas últimas constituem a única linguagem dos prosélitos da anarquia, do caos e da violência. A indignação da ordem se exprime em termos de protesto digno, com uma força calma, segura de si, e disposta à luta. À luta de cavalheiro, que é diametralmente o oposto da fanfarronada agressiva e vulgar dos piquetes de greve, das "ocupações" lesivas ao patrimônio de outrem, e congêneres métodos de protesto.

* Penso que não há, em todo o Antigo Testamento, princípio mais intimamente ligado às concepções do LEGIONÁRIO sobre a civilização em geral, e particularmente sobre a civilização cristã, do que o do salmista: "enquanto o Senhor não edificar a cidade, em vão trabalharão os que a edificam".

* Ó incompreensível CNBB, por certo a mais intrincada e ameaçadora charada que há neste nosso imenso, lindo e querido Brasil.

* O que o Sr. mais admira nas pessoas? - A coerência na fé católica.

* O melhor bálsamo para as dores humanas não é o remédio, é a compaixão. Como fazer brotar do coração humano, tão frio, tão duro, tão egoístico, a flor da compaixão? Pela meditação da Paixão de Cristo.

* Nós somos um País rico governado (em 1989) por um Estado pobre, pela incompetência e por outros fatores ainda de nossos homens públicos. Agora, o resultado é que quando um incompetente dirige os interesses de um competente, o competente vai para a ruína junto com o incompetente.

* Nenhuma doutrina constituiu mais exatamente o extremo oposto do comunismo do que a Boa-Nova pregada por Nosso Senhor Jesus Cristo.

* O comunismo só tem importância no mundo latino-americano enquanto infiltrado na Igreja (Católica).

* Feliz do comunismo se só encontrasse diante de si opositores sem destemor

* O inexorável princípio marxista: tudo quanto o comunismo não possa destruir, deve ser posto sem reservas ao serviço dele

* Se eu tivesse a desdita de ser comunista, seria vivamente contrário (por detrás dos bastidores, bem entendido) ao reconhecimento legal de meu partido. Porque tal reconhecimento não conduziria senão a mostrar a irremediável insignificância dos contingentes eleitorais de que ele dispõe.

* A figura desgrenhada de Marx, o olhar felino de Lenine, os ares de urso desleal e cruel de Stalin favoreciam muito a formação deste perfil moral do comunista, deduzido dos próprios princípios comunistas pelo bom senso universal. 

* Falar em sentimento cristão de tolerância, de indulgência, de benignidade, em relação aos comunistas é, pura e simplesmente, pregar a traição, a covardia, a deserção, em nome de Jesus.

* O terreno próprio para a má semente não é o estômago vazio dos indigentes, mas o cérebro vazio de alguns burgueses (a propósito da afirmação de Luiz Carlos Prestes: “No Brasil só se pode fazer a revolução comunista por meio dos intelectuais que nos ajudariam a formar uma geração intelectual futura comunista. Logo, são as classes ricas o alvo predileto da propaganda comunista”)

* E' obviamente falsa, cabalmente antinatural, monstruosa, absolutamente ruinosa, uma ideologia feita de irreligião, de promiscuidade sexual, de comunidade de bens e da negação de todas as soberanias nacionais.

* A mais universal, contínua e entusiástica sinfonia publicitária não é motivo para se confiar em ninguém. Antes pelo contrário...

* Da confusão ao desespero é curto o passo.

* A confusão não se remedeia senão com a verdade. Mas com a Verdade por excelência, plena e sem jaça, que só se encontra naquele que é "Caminho, Verdade e Vida".

* Nesses nossos anos de confusão, o mais das vezes os fatos influenciam muito menos pelo que são do que pelo que parecem ser. E eles parecem ser conforme os apresenta a propaganda.

* Pobre Brasil se seus filhos destemidos e ordeiros recuassem diante de slogans confusionistas

* Não seria melhor contemporizar? É o eterno problema dos que julgam que o melhor meio de propagar verdades consiste em as diluir e ocultar, como se o melhor meio de disseminar a luz fosse quebrá-la com um abat-jour... Pio X pensou de modo radicalmente diverso.

* As trombadas sofridas numa conversa podem às vezes doer tanto ou mais do que as de trânsito.

* A coragem do herói que conhece o perigo, mas que o afronta por amor a um sublime ideal, não pode ser comparada à imprudência de um ladrão.

* Tirarmos ao Cristianismo o sofrimento é tirar a um corpo a espinha dorsal.

* "In hoc signo vinces" [Com este sinal – a Cruz – vencerás], disse uma Voz a Constantino num momento em que parecia incerta a sorte das armas. Essa Voz não se calou durante quinze séculos, e ainda hoje é a mesma a sua mensagem para o mundo hodierno.

* Houve uma vez um Chefe de Estado que quis derrotar os adversários do Cristianismo. Empenhou uma grande batalha e deveu sua vitória à Cruz, insígnia da civilização cristã, que protegeu suas armas. Este chefe se chamou Constantino. Não foi ele que deu vitória à Cruz, mas foi a Cruz que o fez vencer. Sr. Governador: os católicos souberam dar o devido valor às vossas belas palavras. E eles vos apontam a Cruz. Abraçai-a, e vencereis o comunismo. Ela é que vos protegerá.

* Nada pior do que a inércia ou até a cumplicidade covarde com um inimigo que lhe é oposto irremediavelmente. Colaborações deste gênero podem adiar as catástrofes, mas comprometem irremediavelmente todas as possibilidades de salvação. Se o inimigo irredutível espera um pouco, ele está somente afiando a faca. E não esperemos que os sorrisos que lhe tenhamos prodigalizado concorram para tornar o golpe menos certeiro ou menos profundo.

 

D

* ...Como se a democracia não fosse o direito de discordar!

* O desbravador está para o agricultor comum em relação análoga à do herói com o cidadão tão-só honesto e operoso. Desbravar pressupõe possuir qualidades pessoais invulgares, empregadas de modo total, para a obtenção de resultados relevantes. O desbravador é, em certa perspectiva, um dom da Providência.

* Um cheiro de desonestidade e de deseducação impregnou tudo.

* A exacerbação das paixões sensuais prepara os desordeiros capazes amanhã de todos excessos. Foi com estratagemas destes que se preparou Paris para os anos macabros de 1789, 1790, 1791, a tragédia russa de 1917 e a da Espanha em 1936.

* Uma concepção a-filosófica e a-religiosa da sociedade, meramente econômica e profissionalista, dá origem ao grande desespero das multidões contemporâneas. Ontem estas se esbaldavam para fazer capital, hoje para fazer revolução, e já amanhã para se atirarem no bueiro do miserabilismo niilista, isto é, na glorificação do andrajo e da miséria, da sujeira, do desmazelo e do caos.

* A despreocupação não suprime os problemas, nem os resolve. Muitas vezes até os agrava tragicamente. Pois é a grande adormecedora das sentinelas...

* Destemor não é radicalismo. Feliz do comunismo se só encontrasse diante de si opositores sem destemor

* No serviço de Deus há momentos em que não recriminar, não fustigar, equivale a trair.

* A atmosfera diplomática de hoje é quase irrespirável para homens decentes. Os princípios não valem quase nada.

* O mais sagrado dos direitos do homem consiste em professar, praticar e propagar a Religião Católica

* Um perigo prolongado transforma o receio em hábito. Um perigo incerto e prolongado transforma o receio em displicência. Hábito e displicência acabam por embotar os sentimentos mais delicados.

* As liberalizações de contornos indefinidos não criam nem consolidam nenhuma liberdade verdadeira. À medida que tendem a facultar a todos que façam quanto quiserem, essas liberalizações vão caminhando de fato para a anarquia, e daí para uma mais terrível ditadura.

* O divórcio facilita ao cônjuge relapso a fuga do lar. A maior parte de crimes passionais se verificam nas uniões irregulares, isto é, exatamente naquelas uniões mais facilmente dissolúveis.

* O que é a doutrina católica? É um conjunto de verdades. Desde que, nesse conjunto, uma só verdade fosse adulterada, a doutrina católica já não seria ela mesma. Assim, tentar acomodá-la, adaptá-la, ajeitá-la, é trabalhar para que Ela perca sua identidade consigo mesma: em outros termos, é tentar matá-la. E achar que o apostolado não é possível sem essa adaptação é achar que a Igreja só pode vencer morrendo!

 

E

* Ecologia: palavra elástica, com significados variáveis e quase todos reprováveis

* O ecumenismo, com a infatigável e vã tagarelagem de seu diálogo, é bem a religião dos mediocratas. (...) Nesta perspectiva, parece que a Deus é indiferente que se siga qualquer religião. Pode-se até blasfemar contra Ele e perseguí-Lo. Pode-se até negá-Lo. Ele é indiferente a todos os atos dos homens. Olimpicamente indiferente. Ecumenicamente indiferente. Como aliás os medíocres, por sua vez, tenham eles ou não algum Crucifixo, algum Buda de louça ou de cerâmica, ou algum amuleto, nos locais em que dormem ou em que trabalham, são olimpicamente indiferentes a Deus.

* O homem-saúva (= medíocre) luta contra todas as formas de luta. Singular batalha, que ele trava cedendo, fugindo (para baixo, bem entendido), capitulando: deixando-se esmagar até, se não houver outra solução. A esta família de almas pertencem os incondicionais do ecumenismo. Temendo o aceso das disputas entre as religiões, o homem-saúva quer fundir todas numa só pan-religião, aliás mais ou menos atéia. Para o homem-saúva, todas as crenças e todas as descrenças devem confundir-se no mesmo ralo do ecumenismo.

* Quando o relacionamento elite-povo é correto, do povo provém, muitas e muitas vezes, a inspiração das elites / Se as elites decaem, é difícil que não arrastem o povo. Se o povo decai parece-me impossível que não arraste as elites. - Um povo na sua ascensão ou em seu zênite constitui todo inteiro, no conjunto universal dos povos, uma enorme elite, dentro da qual afloram, quase por destilação, elites mais quintessenciadas e menores. E que é a harmônica conjugação da elite-povo (ou elite-maioria), com a elite-minoria, que nasce a grandeza geral. - A antítese elite-povo que o progressismo quer inculcar é uma impostura. - O verdadeiro povo não é senão uma saudável e magnífica engrenagem de elites: de ouro e de prata, as mais altas. De belo e nobre bronze, as mais modestas.

* Não foi com espírito entreguista que os primeiros cristãos renovaram a face da terra.

* O entusiasmo só é realmente grande quando se defronta com o perigo e não se abate pela adversidade.

* Quando vituperamos Azaña e Cardenas mostramo-nos fraternais amigos da Espanha e do México.

* Para ser espião é preciso ter certo grau de inteligência. Muito mais para ser "desviacionista". Consiste a missão deste em infiltrar-se até no cerne do partido adversário, em semear fatores de divisão, em sugerir manobras erradas, em fomentar o desânimo decorrente dos reveses. Ou seja, em produzir a derrota.

* A estabilidade de um país reside na elevação moral do seu povo.

* O Estado não tem o direito de agir contrariamente à Lei de Deus. Aliás, se o Estado – leia-se Constituinte – o fizer, só poderá ser maléfico. Pois tudo quanto se faz de contrário à Lei de Deus é contrário à ordem profunda das coisas, é nocivo a essas mesmas coisas. A fonte de todo êxito é a conformidade com a vontade de Deus.

* O pior dos patrões é o Poder Público. Porque mau patrão, o Estado é mau produtor.

* O que se faz na Europa repercute, com grande eco, no mundo inteiro.

 

 

F

* O que é que não periga quando periga a família?

* Estou certo de que os fanáticos de esquerda não têm isenção de ânimo para me ler. Viso, entretanto, dar aos centristas ou aos direitistas argumentos para discutir validamente com os esquerdistas, diminuindo-lhes o ímpeto e abaixando-lhes o topete.

* A História cristãmente imparcial jamais considerará em igual plano o sangue dos fanáticos que morrem agredindo o país, e o dos heróis que tombaram na defesa deste.

* Para o relativista, toda afirmação categórica não é senão respingo de algum fanatismo.

* Homens como Churchill e De Gaulle souberam ser polemistas vigorosos mas sem fanatismo.

* Em situações torvas e críticas, as fantasmagorias podem impressionar mais do que a realidade.

* O que o Sr. mais admira nas pessoas? - A coerência na católica.

* Religiosidade e coragem, e virilidade são coisas inseparáveis.

* D. Juan d’Áustria, o heróico vencedor dessa célebre batalha naval (Lepanto), que de nenhum modo equiparo, nem o melhor creme da direita espanhola jamais equiparou, com Francisco Franco Bahamonde.

* Quando desmascaramos o Sr. Blum, cumprimos nosso dever de francófilos entusiastas.

* A cultura, o espírito, a formação francesa são para o Ocidente cristão o que a Grécia foi para a gentilidade antiga - O espírito da Santa Igreja Católica teve na cultura francesa expressões, transparências, matizes a cuja luz lucraram as culturas regionais de todos os povos cristãos.

* Todo direito é limitado por sua função social. Ora, o trabalho dá direitos. Logo estes também devem ser limitados por sua função social.

 

 

G

* O Sr. Getúlio Vargas é o homem de Estado mais frio e impassível que o Brasil conheceu. Todos nós já o vimos ladeando precipícios com o sorriso de quem desliza sobre estrada de rosas, e atacar feras com a displicência de quem brinca com lulus da Pomerânia.

* Há um amigo a quem o Sr. Getúlio (Vargas) tem sido fidelíssimo, pelo qual ele vem lutando há oito anos, e ao qual tem sacrificado tudo: amizades, tranqüilidade, repouso, etc. Este amigo do Sr. Getúlio é o próprio Sr. Getúlio.

* Getúlio Vargas é mais completo, mais sublime, mais absolutamente total na arte de destruição (do que Napoleão Bonaparte). Ele não faz recuar ninguém. Como um mágico, abraça... e elimina. Ora, positivamente eliminar é muito mais do que fazer recuar. Quem recua, vive. Quem é eliminado desaparece. (...) O mais guapo, o mais ágil, o mais ilustre dos atletas e trapezistas da política do Brasil, aquele Getúlio entre todos eminente e feliz, cujos saltos macios causam inveja às próprias aves, e que desarma na arena, com o hipnotismo de seu sorriso, cobras e leões, hienas e raposas.

* Quando apontamos os erros de Hitler, procedemos como autênticos germanófilos.

* Santo Agostinho: o mal maior da guerra é a ofensa feita a Deus pelo pecado do agressor.

* Um dos maquiavelismos da guerra psicológica consiste em que seus verdadeiros dirigentes quase nunca aparecem. E os responsáveis ostensivos por ela sejam não raras vezes inocentes úteis, propensos a atentar apenas para os efeitos imediatos das coisas.

 

H

* Sem heróis nenhum povo de hoje sobrevive.

* Enquanto católico, contesto terminantemente que o gênero humano se reduza a um conjunto de Quixotes e de Sanchos. Para além da alternativa posta por Cervantes, estão as vias sacrossantas do heroísmo cristão. Sim, do heroísmo cristão como a Igreja sempre o ensinou e ao qual a História deve seus lances mais sábios, mais esplendorosos e mais propícios ao bem espiritual e temporal dos homens.

* Ninguém, mais do que a Igreja, preconiza e estimula o heroísmo. Ela é mesmo a única fonte do verdadeiro heroísmo. Pois o heroísmo só é virtude quando desenvolvido segundo as regras do bom senso.

* Para que a restauração da indissolubilidade (do matrimônio) tenha viabilidade, é preciso que se restaure previamente, em incontáveis almas, o anseio de seriedade, de austeridade, de mortificação. Sim, e de algo mais, que se exprime por uma palavra doce como um favo de mel, perfumada como um lírio e que, entretanto, detona hoje em dia como uma bomba. Essa palavra é: pureza. E ela vem seguida de perto por duas coirmãs, não menos doces, nem menos suaves, mas com um poder de detonação ainda maior. Essas são: virgindade e honra.

* Não há honra onde não há verdade nem justiça.

* A humanidade hodierna se contorce por falta da luz dos verdadeiros princípios do verdadeiro Deus

* A grandeza de alma, o arrojo, o espírito de combatividade que elimina a humildade é falso. Mas também é falso, e falsíssima, a humildade que diminua o arrojo, o espírito de combatividade e a altivez.

 

I

* Sou dos que prezam devidamente os interesses, mas colocam acima deles os ideais. E disto não arredo um passo.

* Quem tem verdadeiros ideais não sonha. Quem sonha não tem verdadeiros ideais.

* As ideias que temos e não exprimimos tendem a se estiolar e a murchar em nós.

* O envelhecimento que de quando em vez Ela [a Igreja Católica] mostra não é senão um epifenômeno transitório, um episódio macabro que, no fim de cada processo (o qual hoje [em 1980] chegou a um auge literalmente inimaginável), jamais resulta na morte, mas em nova primavera. Primavera tão mais esplêndida quanto mais trágicos tenham sido os hibernais sintomas da senilidade vencida.

* O obelisco ao centro da Praça de São Pedro é um símbolo da própria Igreja, num desafio perene ao tempo e à maldade humana.

* Ter a certeza de que ainda quando a Igreja não tem em suas mãos ouro nem canhões, pode atirar desassombradamente em seus adversários qualquer pedregulho de beira de estrada, e o pedregulho fará o papel da funda de David.

* Oh! a tragédia dos sinos que emudeceram, nas ocasiões em que deveriam soar, a tragédia das vozes que se calam, quando deveriam falar! E quanto pior ainda é a tragédia das vozes que dizem o que não deveriam dizer! Que negras e dolorosas páginas escreverão, a este respeito, daqui a cinqüenta ou cem anos, os historiadores da Igreja!

* Uma época em que ninguém vive satisfeito com o que é, vive de imitar

* A conduta do viciado ante as perspectivas de catástrofe é sempre marcada pela ilogicidade e pela imprevidência.

* Estou certo de que logo que Dom Pedro I proclamou a Independência e o Brasil surgiu como nação soberana, Nossa Senhora deu a nosso País sua primeira benção e seu primeiro sorriso.

* Há certas almas que só são grandes quando sobre elas sopram as rajadas do infortúnio.

* E quando apontamos algumas nuvens que toldam os horizontes italianos, damos provas de uma italofilia incontestável.

 

J

* O "jeitinho brasileiro" é um determinado estilo de processo para conseguir uma solução.

* Os jornais são feitos para o público, o qual é a grande realidade – perenemente interessante, inesgotavelmente variável, e, em cada país, transbordante de peculiaridades – para o serviço do qual o jornalista tem de adaptar-se.

 

L

* Legislar sobre o trabalho: a coisa é indispensável, pode ser justa, pode até ser ótima. Se aos operários se derem todos os direitos, mas as contribuições previdenciárias tirarem o de fazer dinheiro, ter-se-á dado contra o mundo do trabalho um golpe brutal.

* O poder de destruição de um ato contrário à Lei de Deus e à dos homens se mede muito menos pelo número das vítimas, do que pela elevação do preceito transgredido. E pela gravidade da lesão.

* As liberalizações de contornos indefinidos não criam nem consolidam nenhuma liberdade verdadeira. À medida que tendem a facultar a todos que façam quanto quiserem, essas liberalizações vão caminhando de fato para a anarquia, e daí para uma mais terrível ditadura.

* Luís XIV não quis ser um novo São Luís. Sensual, ávido de prazeres, ambicioso e vaidoso em extremo, sacrificou à sua lascívia e ao que ele supunha ser sua glória, tempo, recursos e prestígio que Deus lhe havia dado para fim inteiramente diverso. Manda, entretanto, a justiça que se acrescente que a vida do grande Rei teve altos e baixos, e que, se em certo sentido ele faltou gravemente a seus deveres para com a Igreja, em outro sentido, lhe prestou assinalados serviços. Não obstante tudo isto, o certo é que o Rei não desempenhava aquela missão providencial à qual, evidentemente, fora chamado por Deus.

 

M

* As lágrimas que uma mãe verter pela apostasia de seu filho serão recolhidas pelos próprios Anjos.

* Não apenas uma mãe, a tua, mas alguém — Alguém — que se te afigura a quintessência inefável, a síntese amplíssima de todas as mães que houve, que há e que haverá. De todas as virtudes maternas que a inteligência e o coração do homem possam conhecer. Mais ainda, daqueles graus de virtude que só os santos sabem excogitar, e das quais só eles sabem aproximar-se, voando nas asas da graça e do heroísmo. É a mãe de todos os filhos e de todas as mães. É a mãe de todos os homens. É a mãe do Homem. Sim, do Homem-Deus, do Deus que se fez Homem no seio virginal dessa Mãe, para resgatar todos os homens. É uma Mãe que se define por uma palavra — o mar — a qual, por sua vez, dá origem a um nome. Nome que é um céu: é Maria.

* Um inimigo desmoralizado é mais autenticamente um cadáver do que um morto glorificado pela auréola do martírio.

* O inexorável princípio marxista: tudo quanto o comunismo não possa destruir, deve ser posto sem reservas ao serviço dele.

* Depois da função do Sacerdote, a do médico é a mais delicada, a que exige maior agudeza espiritual, o maior sentido humano, que não entra em bitolas e padrões, mas se adapta virtualmente a cada caso concreto em particular para não perder nada de sua realidade íntima, num esforço de simpatia que só pode ser inspirado pelo amor. Antes de curar os homens é preciso amá-los, e quem não tiver essa ciência poderá ser, no máximo, um boticário. - O grande médico, antes de ser grande na medicina, há de ser grande como homem.

* Distingo entre medíocres e medianos. Tem-se o direito de ser mediano, tanto quanto o de ter nascido com um estofo pessoal vigoroso, ou apenas suficiente. A mediocridade é o mal dos que, inteiramente absorvidos nas delícias da preguiça e pela exclusiva deleitação do que está ao alcance da mão, pelo inteiro confinamento no imediato, fazem da estagnação a condição normal de suas existências. Não olham para trás: falta-lhes o senso histórico. Nem olham para frente, ou para cima: não analisam nem prevêem. Têm preguiça de abstrair, de alinhar silogismos, de tirar conclusões, de arquitetar conjecturas. Sua vida mental se cifra na sensação do imediato. A abastança do dia, a poltrona cômoda, os chinelos e a televisão: não vai além seu pequeno paraíso. (A descrição sobre a mediocridade continua mais longamente no artigo de onde foi extraído este trecho, n.d.c.)

* Nada afirmar, nada negar, por quase nenhum direito reclamar, contra nenhuma obscenidade protestar, enfim arvorar a moderação como regra suprema do pensar, condição forçosa do querer, do sentir e do agir; tudo isto atirou o Ocidente no pantanal da mediocridade (trechos de Ernest Hello comentados, com as características do medíocre).

* Quando vituperamos Azaña e Cardenas mostramo-nos fraternais amigos da Espanha e do México.

* Uma concepção a-filosófica e a-religiosa da sociedade, meramente econômica e profissionalista, dá origem ao grande desespero das multidões contemporâneas. Ontem estas se esbaldavam para fazer capital, hoje para fazer revolução, e já amanhã para se atirarem no bueiro do miserabilismo niilista, isto é, na glorificação do andrajo e da miséria, da sujeira, do desmazelo e do caos.

* As grandes multidões estão exaustas de trabalhar, de penar, de ser constantemente excitadas pelas mídias para emoções paroxísticas que lotem suas horas de lazer. Elas estão exaustas de perambular com espanto no caos dos acontecimentos sem nexo do dia-a-dia religioso, cultural, político, social e econômico de nossa existência moderna. Elas querem fugir de tudo isto que as mídias lhes entrouxavam continuamente no espírito, através dos olhos como dos ouvidos. Elas querem sossego, normalidade, despreocupação. E isto as mídias lhes recusam a todo instante. Daí, pelo menos em boa parte, o insucesso. E as mídias? Pelo menos no Brasil não parecem ter aprendido a lição. Elas procedem como se vivessem num grande mito hoje em dia inteiramente vazio de conteúdo real.

* Um povo que se deixa guiar por um mito, máxime tão falso, corre o risco de ter o destino do cego guiado por outro cego, contra o qual advertiu o Divino Salvador (Mt.15,14).

* A condenação do modernismo foi um fato histórico tão importante quanto a vitória de Lepanto.

* Quando, entre dois grupos em luta, um começa a ser dirigido pelos respectivos duros e outro pelos respectivos moles, todos os entrechoques passam a ser os do pote de ferro contra o pote de barro...

 

N

* Nazismo, irmão gêmeo do bolchevismo.

* O cinismo é um predicado bem totalitário. Ostentam-no à porfia nazistas e comunistas.

* Os governos totalitários tem sido governos de farsantes. 

Seguindo fielmente o exemplo de Hitler, são fecundos em amabilidades e promessas. Comparecem sôfregos a todas as cerimônias religiosas. 

Especializam-se na arte sutil de conceder à Igreja tudo quanto não tem importância real

Tamanduás inteligentes, abraçam primeiro para depois estrangular. Mas possuem sobre o tamanduá uma dupla vantagem: sabem sorrir e usam pele de cordeiro. É assim o nazismo.

 

O

* Para vencer, não devem os candidatos procurar ajustar suas campanhas eleitorais ao quadro-fiction de uma opinião pública brasileira socialo-comunista. Falem com timbre claro, leal e valente, a linguagem que os setores centristas e até reacionários da opinião pública gostam de ouvir. E as urnas lhes dirão que terá vencido o candidato que falou ao Brasil real, e não o que tenha falado a um Brasil irreal, um Brasil-fiction, paraíso dos comunistas e de seus vizinhos ideológicos.

* Quando as certezas morrem, a atividade intelectiva perde sua meta natural. E a modorra se apodera da opinião pública.

* Se soubéssemos verdadeiramente rezar, se tivéssemos a confiança e a humildade que tornam grata a Deus a oração do homem, seríamos onipotentes. A oração confiante e perseverante do justo, tudo alcança. E a História da Igreja é sobretudo a narração dos triunfos que Ela alcançou pela oração dos fiéis.

* Se os pessimismos de qualquer natureza diminuem a confiança, os otimismos infundados fazem esmorecer a oração.

 

 

P

* Os pacatos toleram tudo, exceto que se lhes perturbe a pacatez. Pois então facilmente se fazem ferozes...

* É preciso não confundir os pacifistas com os pacíficos. Estes últimos serão chamados filhos de Deus.

* Segundo Churchill, pacifistas são os que esperam só ser comidos no fim.

* As virtudes do Papa Pio X haviam abafado o ruído estúpido dos que julgavam que o fator mais importante do apostolado está na inteligência

* Nessa hora de desgraça, não amaldiçoemos Paris, não batamos palmas aos que a oprimem, não nos acumpliciemos com os que a desolam. Rezemos por Paris. Se das cinzas dessa terrível penitência renascer uma cidade convertida, que mais podemos desejar para a França, que é e será sempre a Primogênita da Igreja?

* Os beneméritos da Pátria são todos aqueles que concorrem de modo útil para a manutenção da moralidade pública, da riqueza nacional, para o esplendor e progresso da civilização.

* Há muita gente que imagina que a única forma de combater uma verdade consiste em negá-la redondamente. Este é apenas o processo dos simplórios. O modo mais subtil e mais perigoso consiste em exagerar a verdade. Com isto, se fornece aos seus adversários pretextos para combatê-la, desacreditando-a no espírito dos que a amam. Foi isto que se deu com o patriotismo.

* A perfeição do patriotismo forma heróis. Sua deformação dá origem a bandidos.

* A paz dos homens vale mais que a glória de Deus? A terra vale mais que o Céu? A paz na terra pode ser obtida e conservada sem que com isto nada tenha a ver a glória de Deus?

* Queira-se ou não, mais do que Mamon, é o pensamento que conduz os homens

* Sou contra o livre-pensamento. Mas também contra o não-pensamento. 

* Quando o homem pensa, necessariamente fala do que pensa. 

* Quando as famílias não pensam, não educam.

* Um perigo prolongado transforma o receio em hábito. Um perigo incerto e prolongado transforma o receio em displicência. Hábito e displicência acabam por embotar os sentimentos mais delicados.

* A personalidade humana é como vinho precioso, que precisa de ser guardado com cuidado, sem agitações, para depurar-se e valorizar-se com o tempo. Do contrário, se ficar exposto ao ar livre, torna-se vinagre.

* Quem é o pessimista autêntico? É a sentinela que brada alertando sobre o perigo, na esperança de que a gravidade da hora galvanize energias ainda capazes de vencer? Ou é quem, de dentro da cidadela, responde ao brado de alarma: "Não há perigo... – aliás o inimigo não é assim tão detestável... – e, principalmente, nada há que fazer; deixe-me dormir até que ele entre, pois tudo está perdido..."

* Se os pessimismos de qualquer natureza diminuem a confiança, os otimismos infundados fazem esmorecer a oração.

* A verdadeira piedade se nutre da verdade.

* A TFP está longe de gostar da polêmica pela polêmica, e sabe evitar controvérsias quando não as julga conformes ao bem da Igreja e do País.

*  Quando os homens resolvem cooperar com a graça de Deus, são as maravilhas da História que assim se operam: é a conversão do Império Romano, é a formação da Idade Média, é a reconquista da Espanha a partir de Covadonga, são todos esses acontecimentos que se dão como fruto das grandes ressurreições de alma de que os povos são também suscetíveis. Ressurreições invencíveis, porque não há o que derrote um povo virtuoso e que verdadeiramente ame a Deus.

* Quando o relacionamento elite-povo é correto, do povo provém, muitas e muitas vezes, a inspiração das elites / Se as elites decaem, é difícil que não arrastem o povo. Se o povo decai parece-me impossível que não arraste as elites. - Um povo na sua ascensão ou em seu zênite constitui todo inteiro, no conjunto universal dos povos, uma enorme elite, dentro da qual afloram, quase por destilação, elites mais quintessenciadas e menores. E que é a harmônica conjugação da elite-povo (ou elite-maioria), com a elite-minoria, que nasce a grandeza geral. - A antítese elite-povo que o progressismo quer inculcar é uma impostura. - O verdadeiro povo não é senão uma saudável e magnífica engrenagem de elites: de ouro e de prata, as mais altas. De belo e nobre bronze, as mais modestas.

* Ensinar nossa geração a respeitar algo no pobre - um nome honrado, uma educação de escol, a glória do infortúnio, a suprema dignidade do batismo - é fazer-lhe um beneficio inestimável. Uma pessoa que aprenda no exercício da caridade a respeitar a dor, a virtude, o mérito pessoal mesmo no pobre, lucra só com isto mais do que o pobre a quem beneficia.

* Quando "é inevitável que a polêmica deixe de ser a nobre e desinteressada esgrima dos argumentos, se transforme no "rugby" vulgar da difamação, e perca sua seriedade e sua destreza, sob a ação da peculiar coceira causada pelo fuxico".

* Em geral, nada é mais efêmero do que, em política, as posições ecléticas e intermediárias. Elas trazem em seu bojo a contradição, e a contradição é - por sua natureza - algo de instável e precário.

* Sempre dei incomparavelmente mais importância aos panoramas psico-políticos (ou seja, decorrentes de um estado psicológico muito firme e definido da opinião pública) do que aos que chamaria de político-politiqueiros.

* Increpar todos os privilégios é absolutamente tão insensato quanto apoiá-los a todos. 

* Pode haver privilégios justos e benfazejos, como também os houve, há e haverá injustos e nocivos.

* A mentalidade progressista tem uma enigmática insensibilidade às contradições.

* Delicta quis intelligit? Quem compreenderá os pecados? indaga a Escritura. Quem entenderá o progressismo?

* A propriedade deve ser usada sem egoísmo, sob pena de se transformar em fonte de perturbações sociais graves. Cumpre, aliás, acentuar que a supressão da propriedade não remediaria, mas apenas agravaria de forma desesperadora, tais perturbações.

* A prosperidade material não é - em si mesma e necessariamente - uma armadilha do demônio.

* É inegável que, em algumas circunstâncias muito especiais, o esquecimento é o melhor modo de combater certas doutrinas. Nem por isto se há de adotar, como regra comum de prudência, o princípio de que o melhor meio de extinguir incêndios consiste em os deixar lavrar à vontade.

 

R

* No serviço de Deus há momentos em que não recriminar, não fustigar, equivale a trair.

* Um grande homem é - por definição - um homem capaz de refletir e de meditar. Implicitamente, um povo não pode ser grande, nem para as coisas do céu nem para as da terra, se não tiver o hábito da meditação.

* Quando atacamos Stalin, fazemos ato de russofilia.

 

S

* Só há um meio de decidir os homens a grandes sacrifícios para eliminar um mal: é mostrar-lhes que este mal é bastante grave para justificar os sacrifícios que lhes pedem.

* O paganismo é a caça ao prazer, no fundo do qual só há sacrifício. O Cristianismo é a caça do sacrifício, no fundo do qual há prazer.

* Um ateu (Sakharov) acabou por dizer o que quereríamos ter ouvido dos lábios dos homens de Deus.

* Ninguém se santifica pela meditação sobre as virtudes ou defeitos alheios, se não o fizer de modo a acrescer suas próprias virtudes, ou combater seus próprios defeitos.

* A atitude do século XIX foi de vacilação. Desta nasceu sua grande característica: a incoerência.

* O sensacionalismo é um dos importantes fatores da dissolução dos costumes e das moléstias nervosas de nossos contemporâneos.

* Nada é mais brilhante do que a seriedade.

* A seriedade é o clima interior segundo o qual se ama a Deus.

* Aquele que quiser ser infeliz, evite a seriedade: a frivolidade, o vazio, o vácuo, a frustração, a derrota sentar-se-ão na cabeceira dele, e o acompanharão como fadas más, o dia inteiro.

* A realidade completa da substância humana inclui necessariamente um corpo material e, por isso, tudo no homem, para ser completo, abrange expressões corpóreas. O pensamento quer a palavra, o sentimento pede o gesto, a emoção busca a fisionomia, a convicção exige o símbolo. E quanto maior plenitude tiverem os pensamentos, os sentimentos, as emoções, as convicções, tanto mais nobres serão as palavras, os gestos, as fisionomias, os símbolos.

* O livre debate das opiniões é condição capital da soberania popular. Persuadirá a opinião pública quem tiver razão, e souber provar que a tem.

* Os problemas sociais são como os ferimentos: quanto mais comprimidos, tantos mais se inflamam.

* A questão social não se resolverá enquanto a maior parte da humanidade sentir vergonha da condição de vida que lhe é própria.

* Socialismo e monopólio estatal são termos correlatos. A ideia fixa do socialista é monopolizar tudo quanto pode.

* Típico da mentalidade socialista: nega o espírito e põe o dinheiro acima de tudo. As razões morais não existem. Nem o decoro, nem a compostura.

* Não nos basta agir e rezar. Precisamos sofrer. Sofrer de bom grado as provações que Nosso Senhor manda ou permite. E procurar generosa e voluntariamente outros sofrimentos, para os oferecer a Deus.

* Sem a graça de Deus torna-se incompreensível a utilidade do sofrimento.

* Solidariedade não significa apoio incondicional, mas apoio no bem. Porque apoio no mal não se chama solidariedade, mas cumplicidade.

* Há quem suponha que só com melúrias e sorrisos se cativam as almas. Se com vinagre não se apanham moscas, com mel não se amansam panteras.

* Com os soviéticos não se negocia, como não se negocia com gangsters, apaches ou nazistas. O mundo civilizado perceberá isto? Ou cometerá o erro de capitular indefinidamente ante os vermelhos, como já capitulou ante os pardos?

* Muito superficial é quem não saiba discernir, entre certos fatinhos, o que é bagatela e o que é sintoma. E não conheça, assim, o profundo valor sintomático de coisas em que um espírito superficial não vê senão bagatelas.

 

T

* A tradição não é privilégio de lordes. Um pouco por toda a parte, na Europa, não se encontra a tradição popular ainda viva? Não a guardam muitos camponeses da Serra da Estrela (Portugal) e do Tirol (Áustria), da Bretanha (França) ou da Sicília (Itália)? No Brasil, não há vestígios de tradição nas mais variadas camadas sociais, desde as famílias de 400 anos até as famílias modestas do mais retirado interior? Não guardam, muitas famílias de imigrantes, encantadoras tradições de suas pátrias de origem?

* A tradição é uma força. É uma potência. E entre outras maravilhas que opera, está a de impregnar de poesia e de encanto até mesmo o velho som de uma gaita de outrora... Conservar vida e encanto até mesmo do arcaico, qual a força capaz disto senão a Tradição?

* No serviço de Deus há momentos em que não recriminar, não fustigar, equivale a trair.

 

V

* Se (...) quiser saber como será julgada sua vida no Tribunal Eterno, não indague tanto sobre os caminhos que palmilhou ou as gotas de suor que de sua fronte gotejaram. Indague, sim, das horas passadas de Rosário em punho, aos pés do Tabernáculo.

* Pensar, e por meio do pensamento conquistar a Verdade, amá-LA, servi-LA, eis o grande fim da vida. A Verdade? Sim, e com "V" maiúsculo. A Verdade, personificada naquele que disse de Si: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida" (Jo. 14,6).

* Vencida em nosso íntimo a investida anti-cristã, tratemos de vencê-la no cenário hodierno. (vida interior)

* A virtude é a saúde da alma e quanto mais saudável a alma, tanto melhor e mais perfeita. Mas a virtude pode ser desfigurada, mal compreendida e mal aplicada.

* Desde que nosso amor a determinada virtude não seja motivado por razões muito verdadeiras e muito puras, facilmente degenera em paixão e se transforma em defeito

* Quando Deus dá a alguém qualidades naturais singularíssimas, de qualquer natureza que sejam, impõe-lhe implicitamente responsabilidades onerosas. Conta-se que os Padres Jesuítas, que foram educadores de Voltaire, impressionados com a inteligência do menino, costumavam dizer que ele seria ou um Santo, ou um demônio.

* Sobriedade, perseverança, domínio de si mesmo, prudência, coragem, audácia, generosidade são apenas as cintilações multicolores de um mesmo brilhante: o vigor da vontade auxiliada pela graça.

 


Bookmark and Share